Carinho da mamãe cura dodói

Pesquisa americana reforça que o carinho da mamãe em momentos de dor ameniza o sofrimento da criança

Quem é que nunca deu um beijinho no machucado do filho dizendo que a dor já ia passar? E quando a mãe improvisa uma milagreira massagem (mesmo sem nunca ter colocado os pés em um curso especializado) quando o pequeno sofre uma pancada na mesa ou jogando futebol? E os poderes bombásticos de um gostoso cafuné quando a criança está de cama? O mais interessante e gratificante é que todos esses artifícios de fato amenizam e muito a dor.

O bombardeio de carinho na criança nos momentos de dor tem muita força, viu. Isso porque uma área do cérebro é ativada quando se recebe um carinho, liberando descargas elétricas que diminuem a sensação de dor. Demonstrações de afeto geram um efeito de proteção e prazer.

Vamos explicar em uma linguagem mais específica, mas necessária. Crianças consoladas com o carinho ou com a voz da mamãe têm um aumento dos níveis do hormônio ocitocina no organismo. Um artigo americano publicado na Proceedings of the Royal Society B reforçou tal conclusão.

Mamãe e papai dando carinho para sua filha - Foto: suravid/Shutterstock.com

A ocitocina é um hormônio liberado pela hipófise, uma estrutura que fica no cérebro. É um hormônio relacionado, dentre outras coisas, ao contato físico, como um carinho, um abraço ou um beijo.

Quando se recebe um beijinho da mamãe quando se machuca, a hipófise libera a ocitocina. E seus efeitos imediatos são de diminuição da ansiedade e do estresse, que acabam diminuindo a percepção de dor da criança.

Um outro estudo realizado na Universidade de Stanford, nos EUA, também revela que trocas de carinho e de afeto amenizam a dor. As demonstrações de afeto ativam as mesmas áreas do cérebro em que os analgésicos atuam. Para quê um remédio para um simples machucadinho se o beijinho da mamãe sara tudo?

O melhor é que demonstrações de carinho e afeto não são boas só de imediato. As crianças levam isso para a vida toda. O vínculo consistente entre mamãe e bebê não apenas diminui o estresse da criança como também a ajuda a desenvolver recursos que a auxiliarão em suas interações sociais e na vida de maneira geral.

Carinho é gostoso, faz bem e é retribuído de milhões de outras formas. Uma mãe presente na vida de uma criança é a coisa mais valiosa para o pequeno. Quando isso infelizmente não é possível, o pai, os irmãos e avós podem suprir essa importante figura na vida do ser humano.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/carinho-da-mamae-cura-dodoi/

De volta à forma após o parto

Logo após o nascimento do bebê muitas mães querem recuperar a forma que tinham antes do parto, mas tudo deve ser feito com cautela e preferencialmente com orientação médica

A preocupação com os quilos extras adquiridos durante a gravidez, geralmente, é minimizada em função de uma causa maior: o nascimento do bebê. Mas no pós-parto, o excesso de peso ganha uma nova proporção para a maioria das mulheres.

A ansiedade natural pelo período delicado põe à prova toda a habilidade feminina. É comum que a mulher fique ansiosa neste período. As alterações hormonais pelas quais a mãe passa durante os nove meses de gestação e as bruscas mudanças hormonais que ocorrem durante e após o parto podem torná-la mais melancólica e angustiada.

Essa labilidade emocional parece se dever à brusca queda hormonal pela qual ela passa ao se separar do feto e da placenta, responsável pela secreção de hormônios em doses altíssimas durante toda a gestação. Somando-se a todos estes fatores, a mulher também se sente insegura quanto à possibilidade de voltar ao seu peso e às suas formas corporais de antes. Felizmente, após o parto, o peso corporal voltará gradualmente. Basta para isso que ela se alimente de maneira balanceada, priorizando alimentos ricos em nutrientes, evitando guloseimas e comidas gordurosas e, se possível, amamentando o seu bebê.

O corpo precisa de um período para se adaptar à nova realidade. Primeiro, ele precisa eliminar o excesso de água, originário da ação dos hormônios placentários. Esse ‘verdadeiro inchaço’ tende a ser lentamente eliminado. Além disso, há também ganho de gordura, que pode ser mobilizado progressivamente por meio de uma alimentação adequada e da própria amamentação. Voltar ao peso anterior vai depender de bom senso, orientação nutricional e tempo. Um tempo muito importante para mãe e filho. Sem prejuízo para nenhum dos dois.

de volta à forma após o parto - Foto: pixabay.com

Além de ser fundamental para a saúde do bebê, a amamentação é uma grande aliada da mãe em todos os sentidos. Em primeiro lugar, porque contribui para a contração do útero, que volta aos poucos para o seu tamanho normal. Outro fator positivo é o gasto calórico que proporciona ao organismo. Para que a mulher produza leite, é preciso ter uma atividade celular intensa. Em função da aceleração do metabolismo, o gasto energético pode aumentar em 900 calorias por dia. E como nos primeiros 40 dias, a mulher ainda não está liberada para retomar a ginástica, a amamentação torna-se uma boa aliada em busca do peso ideal, além de firmar o vínculo entre mãe e filho.

Para não prejudicar a própria saúde ou a alimentação do bebê, as mães não devem pensar em seguir dietas hipocalóricas. Um cardápio equilibrado, em torno de 2000 calorias na dependência das proporções corporais da mãe, é fundamental para garantir um bom padrão nutricional para a mãe e para a criança, um bom funcionamento intestinal e uma adequada produção de leite. A mulher que amamenta precisa garantir a ingestão de todos os nutrientes. É importante aumentar a ingestão de líquidos e evitar grandes quantidades de café, chá preto, chocolates, guloseimas e alimentos com corantes.

Passada a quarentena, após liberação médica, a mulher ganha uma nova aliada na luta contra a balança: a atividade física. Inicialmente, os exercícios devem ser leves, com duração de 30 minutos a 1 hora por dia, duas vezes por semana. A frequência e a intensidade poderão progressivamente ser aumentadas para não prejudicar a produção do leite. Durante essa fase de readaptação, as modalidades mais indicadas são a caminhada, a bicicleta ergométrica, a hidroginástica e até a musculação, sempre com a supervisão de um profissional.

Mais do que nunca esse é um tempo onde a perda de peso só deve ocorrer em paralelo a uma boa alimentação, pois a qualidade nutricional do leite depende da qualidade da alimentação materna. O equilíbrio entre nutrientes e calorias consegue alimentar os dois e permitir a volta ao peso ideal da mãe.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/de-volta-a-forma-apos-o-parto/

Como cuidar dos cachinhos das crianças

Os cuidados que demandam um cabelo cacheado é o mesmo para adultos e crianças

As crianças não sabem ainda como lidar com os seus cachinhos. É dever dos adultos, portanto, ensiná-las a rotina capilar adequada e tornar a hora de cuidar do cabelo um momento agradável, feliz e divertido. Dessa forma, as crianças aprenderão desde cedo que seus cabelos são lindos e que não são difíceis de lidar coisa nenhuma.

Nada mais traumatizante para uma criança do que ver seus pais se desesperando na hora de lavar o seu cabelinho. Horrorizados com os nós que são inerentes aos nossos cachos. Munidos de pentes e escovas que machucam demais. Tudo isso cria uma experiência ruim com o próprio cabelo desde a infância.

Você, adulto, faça o favor de aprender a cuidar dos lindos cachos dos seus bebês. Leia, procure vídeos na internet, leia artigos e livros a respeito. A sua sorte é que ser mãe ou pai de criança cacheada nunca foi tão fácil. Hoje em dia, informação não falta em lugar nenhum.

como cuidar dos cabelos cacheados nas crianças - Foto: cherylholt / pixabay.com

Lavando os cabelos

As crianças são muito ativas, então precisamos lavar seus cabelos com mais frequência dos que os dos adultos. Os pequenos geralmente não gostam da hora do banho, então é preciso fazer um esforço extra para tornar essa experiência de cuidar do cabelo divertida.

Recomendo lavar o cabelo das crianças com shampoo sem sulfatos, parafinas, óleos minerais etc. O Low Poo pode ser mais adequado que o No Poo neste caso, pois as crianças se sujam muito mais que os adultos. Rolam na areia, na grama, encostam na cabeça dos amigos o tempo todo… você ficaria impressionada com tudo o que é possível de encontrar no cabelo dos seus filhos. Uma diversidade de flora e fauna tão rica quanto a da Floresta Amazônica.

Depois de lavar com produtos adequados, não se esqueça de condicionar. Cabelos cacheados precisam de muita hidratação constantemente. Também jamais esqueça do creme de pentear.

Jamais utilize pentes para desembaraçar, só os dedos. Também não passe jamais um pente ou escova nos cachos secos. Se for desembaraçar, o faça com o cabelo molhado, no banho, ou durante uma revitalização.

Nos dias seguintes à lavagem, você pode fazer diversos penteados para não lavar os cabelos dos pequenos todos os dias, pois isso levaria ao ressecamento, quebra e danos. O ideal é não lavar os cachos mais do que duas vezes por semana.

Existem técnicas para que os cachos não desmanchem no dia seguinte. Sua filha ou seu filho pode dormir de tranças, twists, com coque abacaxi e com fronhas de cetim. Não se esqueça apenas de que os penteados devem ser frouxos. Não prenda forte demais para não causar alopecia e quebra.

Não esqueça de fazer uma hidratação profunda no cabelo dos seus filhos uma vez por semana, em um domingão, por exemplo, dia mais tranquilo da semana.

Emergências

Crianças são extremamente ativas. Pulam, correm, se enroscam em tudo. O resultado é uma grande bagunça nos cabelos. Confira algumas dicas em caso de “SOS” capilar.

  1. O que fazer quando aparece um pedaço de chiclete, pasta de dente ou massinha de modelar no cabelo do seu filho? Esfregue a região com um cubo de gelo até que a parte pegajosa endureça e comece a esfarelar. Depois misture um pouco de vinagre em um quarto de condicionador e aplique na área emaranhada. Deixe absorver e, em seguida, remova o pedaço delicadamente com os dedos.
  2. Rabos de cavalo e coques são penteados práticos para aqueles dias em que você não tem tempo de revitalizar os cachinhos dos seus filhos. Mas não prenda muito forte para não dar alopecia nem quebrar os fios pela tensão.
  3. Para desatar os corriqueiros NÓS nos cabelos, é preciso muito cuidado e paciência. Devem ser removidos apenas com as mãos para não machucar nem traumatizar a criança. Ao desembaraçar os nós, use muito creme de pentear na região. Isole o nó com uma das mãos, segurando entre o indicador e o polegar. Com a outra mão, tire delicadamente cada fio de dentro do nó. JAMAIS USE PENTE OU ESCOVA, principalmente no cabelo seco.
  4. No caso dos bebês, você pode às vezes sentir um ressecamento no couro cabeludo da criança. Faça massagens com azeite de oliva ou óleo de jojoba nessas regiões para evitar dermatite seborreica.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/como-cuidar-dos-cachinhos-das-criancas/

Lista da maternidade

Chegada a hora do parto é preciso estar com tudo à mão para não esquecer de nada. Veja o que você deve levar para a maternidade no dia do parto

lista da maternidade - Foto:   yanalya / Freepik

Uma lista de itens para você levar para a maternidade e ficar tranquila e confortável.

O que levar para a maternidade?

O que deve ser levado ao Hospital no momento da internação? A sacola da mamãe e do bebê devem ser preparadas desde o 7º mês de gestação.

Sacola da mamãe

  • 01  pacote de absorvente próprio para o pós-parto;
  • 01 chinelo de quarto;
  • 03 jogos de camisolas que sejam de fácil manejo para a amamentação;
  • 06 calcinhas de tamanho maior do que usava antes de engravidar;
  • 01 cinta pós-parto;
  • 01 roupa para o dia de alta;
  • 02 sutiãs de amamentação;
  • 01 pomada pra rachadura de seio;
  • protetores de seios;
  • absorventes para seios;
  • concha para seio;
  • máquina fotográfica (checar baterias e levar carregador);
  • filmadora (checar baterias e levar carregador);
  • produtos de higiene íntima: escova de dentes, escova de cabelos, shampoo, sabonete, creme dental, toalhas e demais itens de banho;

Sacola do bebê

  • 01 creme para prevenção de assaduras;
  • 01 pacote de fralda descartável (tamanho recém-nascido);
  • 03 body;
  • 03 calça/mijão/culote;
  • 02 casaquinhos;
  • 03 macacão de recém-nascido;
  • 02 lençol de bercinho;
  • 01 manta (de acordo com a estação);
  • 06 fraldas de pano (brancas, sem pintura);
  • 02 toalhas com capuz;
  • 01 escovinha macia para cabelos;
  • 02 sapatinhos e luvas de lã (no frio);
  • 03 cueiros;
  • lembrancinhas;
  • enfeite de porta;

Esta é a lista mínima, fica a critério de cada um o que desejar levar a mais.

Carro

  • Bebê-conforto (assento para o bebê) – teste a instalação em seu carro assim que comprar.

Documentos

  • RG da paciente 
  • Carteira de convênio (caso tenha convênio, o Hospital exige na internação);
  • CIC e RG do marido (ou acompanhante);
  • Guia de internação (informe-se junto ao seu convênio se pode ser fornecida antes do parto, pois facilita muito no momento de internar);
  • Cartão da Gestante (utilizado no SUS e em breve nos planos de saúde);

OBS.: Parto é sempre urgência. Caso você se apavore, já saiu de casa e depois viu que esqueceu tudo, relaxe. Vá em frente. Leve sua esposa até o hospital e converse com a recepção. Enquanto ela está sendo atendida e você está assinando uma nota promissória, por exemplo, e um pouco mais tranquilo, você volta e busca o que esqueceu.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/lista-da-maternidade/

Receita para o inverno – S’mores

O inverno está chegando, e com ele os dias mais frios e aconchegantes, ótimos para aproveitar com as crianças e fazer uma receita deliciosa para aquecer. Para curtir esse clima, trouxemos uma que é tradição americana: S’mores. Confira o passo a passo:

Ingredientes:
– Bolacha tipo maisena ou ao leite
– Chocolate
– Marshmallows

Modo de Preparo:
Comece despejando o chocolate em um refratário que possa ir ao forno, cobrindo todo o fundo com uma camada uniforme.

Após, cubra o chocolate com os marshmallows, de maneira uniforme, até que não se possa mais ver o chocolate embaixo.

Leve ao forno e deixe até o marshmallow dourar, você pode optar em deixar mais ou menos tempo, dependendo de quão dourado quiser o marshmallow.

Agora vem a melhor parte! É só tirar do forno e comer ainda quentinho, mergulhando as bolachas. Hum…

Fonte do Site: http://blog.milon.com.br/post/receita-para-o-inverno-smores-14389

Preparando-se para a gravidez

Resultado de imagem para gravida

Assim que uma mulher descobre que está grávida, uma série de mudanças psicológicas (além de físicas) passam por sua cabeça. Ela recebe uma carga muito grande de alterações emocionais, como o aumento da responsabilidade, temor do desconhecido, preocupação com o parto e outras sensações. Mesmo que programada e desejada, a gravidez sempre gera uma insegurança e ansiedade.

Para isso é muito importante que a futura mamãe realize consultas regulares de pré-natal, que irá oferecer o suporte necessário para passar por estas mudanças. Há também os cursos de preparação para o parto, que fornecem a troca de experiências dentro de um grupo de casais. O importante destes cursos vai muito além de uma simples troca de fraldas ou de como preparar a mamadeira, é o período de preparação do “casal grávido”, física e emocionalmente, que irá fazer com que participem ativamente de todo o processo que envolve a maternidade. Estes cursos são oferecidos por hospitais, clínicas e entidades relacionadas ao assunto.

O casal bem informado vivenciará este momento com tranquilidade, dúvidas esclarecidas e enfrentarão melhor as preocupações e ansiedades da gravidez.

Fonte do Site: http://emmafiorezi.com.br/blog/index.php/preparando-se-para-a-gravidez/

Os benefícios do Sling

É a maneira mas fácil e natural de integra-lo a sua vida diária. Não só é prático, como também reafirma a sua capacidade de prover o ambiente mais benéfico possível para o bebê.

Os Bebês que são carregados

  • Choram menos! (43% menos no total e 54% menos durante as horas do dia).
  • São mais saudáveis! (ganham peso mais rápido, tem melhor habilidade motora, coordenação, maior tonificação muscular e senso de equilíbrio). 
  • Tem uma melhor visão do mundo! (bebês em carrinhos vem o mundo a altura dos joelhos de um adulto).
  • Da mais segurança, o bebê tem acesso a comida, calor e amor.
  • Ganham independência mais rapidamente!
  • Dormem melhor! (mais rapidamente e por períodos mais longos)
  • Aprendem mais! (não são super-estimulados, mais calmos e alertas, observando e participando do mundo ao seu redor) 
  • São Mais felizes! (se sentem mais amados e seguros) 

Benefícios para você

  • Melhora a comunicação entre os dois, já que você se sintoniza com os gestos e expressões dele.
  • Cria pais mais auto-confiantes. Não há nada melhor que ter um bebê calmo e contente graças a que você sabe atender suas necessidades.
  • É conveniente . Não há incomodidades nem complicações como ter que carregar um bebê-conforto num braço e o bebê no outro.
  • Facilita a locomoção. Você pode caminhar por calçadas e terrenos irregulares, ruelas estreitas, subir e descer escadas, entrar a locais com muita gente sem bater em ninguém com o carrinho, etc.
  • É saudável para você. Permite você sair para caminhar e respirar ar puro!
  • Amamentação discreta sem necessidade de buscar um lugar apropriado para sentar.
  • Permite você interagir com outras crianças ou filhos e ainda assim manter seu bebê perto e seguro. 
  • Mãe e bebê podem sair de casa juntos! Você pode ir a qualquer lugar com seu bebê seguro e acolhido.
  • Suas mãos estão livres. Você pode fazer compras, caminhar, passear, ler um livro,  brincar com o seu filho maior ou ainda sair para um lindo almoço na cidade.
  • É a solução natural para o sono do bebê. Você acalma e agrada seu bebê com seu calor, sua voz, seus movimentos e o batimento de seu coração.

Fonte do Site: http://www.slingando.com/index.php/Beneficios-de-Slingar-Carregar-seu-Bebe-no-Pano-Wrap.html 

Gostou das dicas? Então entre em contato conosco via WhatsApp 047 99232.0368 e confira os modelos de slings disponíveis em nossa loja física. 

O Cueiro: como acalmar o choro do bebê

Aprenda como utilizar o cueiro e fazer seu bebê se acalmar

O bebê chora sem razão. Já mamou, já trocou fralda, não é um choro de dor, está no colinho, mas o choro não passa. Se você nunca viveu esta situação é porque provavelmente ainda não tem filhos.

Se alguma vovó estiver presente, vai te sugerir o cueiro. E, se eu fosse você, eu aceitava e aprendia a fazer.

O cueiro é um pano grande e macio que serve para enrolar os bebês, mas também pode dar nome à técnica de se embrulhar os bebezinhos num charutinho, como é feito nas maternidades.

Seguindo a mesma linha do sling, o cueiro deixa os movimentos da criança limitados, imitando as condições do útero materno, deixando-a mais segura e, por incrível que pareça, confortável. Isso porque o cueiro evita aqueles espasmos de crise de espaço dos bebês: antes eles estavam num ambiente sem luz, sem cheiro, sem espaço, com poucas texturas, sem variação de temperatura, sem vento… Agora estão livres e abertos a qualquer variação no ambiente, perdidos na imensidão do berço. Por isso os bebês muitas vezes dão uns pulos, como se tomassem um susto. Fazem isso involuntariamente, como acontece com a gente quando sonhamos que estamos caindo e acordamos num tranco.

Embrulhadinhos, os bebês não dão esses pulos, não acordam com movimentos involuntários do corpo e se sentem protegidos. Sem contar que no cueiro eles ficam bem quentinhos, o que alivia as tão chatas cólicas. Pois bem, as vovós estavam certas.

Entretanto, é preciso estar atento aos riscos do uso do cueiro, pois o pano pode se soltar e ir para o rosto da criança, aumentando o risco de sufocamento. Também existe o risco de a criança rolar e não conseguir voltar, já que seus braços estão presos. Outro perigo é a temperatura: a criança pode ficar superaquecido, assim, em lugares quentes é válido até utilizar o cueiro com o bebê só de fralda. Da mesma forma, deve-se ficar atento às pernas do bebê, que, se presas, podem levar à displasia do quadril, já que as pernas do bebê quando relaxadas, ficam como um sapinho. Se o cueiro limitar seus movimentos, elas ficam esticadas, levando ao desenvolvimento anormal das pernas e até ao deslocamento do quadril.

Eu adotei o cueiro com meus filhos, e posso garantir que a técnica funciona, se bem feitinha. Mas também sei de casos em que a criança acaba ficando mais agitada. O segredo é prender bem os bracinhos de forma que a criança não consiga soltá-los. Se num movimento ela perceber que consegue se mover, ela vai tentar sair, e ficar mais agitada.

Outro segredo é o xu. Não conhece o xu? Vou explicar: depois de embrulhadinha, a criança pode ainda continuar chorando. Então você pega aquele charutinho do amor do colo, coloca seu rosto bem perto do do bebê, e faça um xu-xu-xu-xu-xu bem ritmado, como se imitasse o som do seu coração. O choro se acalma, e a criança adormece.

Colocado do berço, eu tento folgar um pouco o cueiro, para que o bebê consiga se mexer, caso ele venha a rolar, mas que um espasmo não consiga acordá-lo. Aliás, quando o bebê começar a rolar, por volta dos 3 meses, é sinal de que ele não precisa mais do cueiro.

Vale lembrar que o cueiro deve apenas ser utilizado pra acalmar a criança na hora de dormir. Quando acordada e durante o dia, o bebê pode e deve ficar livre, recebendo todos os estímulos. Antigamente as crianças ficavam enroladinhas o tempo todo, em ambientes escuros e silenciosos, por isso se diz que as crianças de hoje estão mais espertas. Eu não diria mais espertas, apenas mais estimuladas.

Fonte do Site: http://diiirce.com.br/cueiro/

Na TulipaBaby você encontra os modelos de Cueiros da Swaddle Blanket da Zip ♥

O Swaddle é um Cueiro ou Manta, com tecido leve e confortável, que proporciona mais segurança aos pequenos, além de prevenir arranhões e sustos dos movimentos  involuntários dos bebês e pode ser usado dos 0-3 meses! Feito com tecido 100% algodão, pode ser lavado na máquina.

Gostou das dicas? Então fale conosco via WhatsApp 047 99232.0368 e adquira o seu Cueiro!

Acesse nosso site e confira nossas opções de produtos

Cuidado com o açúcar

O açúcar pode ser consumido, porém em quantidade muito reduzidas. O consumo em excesso pode desencadear processos indesejáveis como a obesidade

ATENÇÃO!
Até o sexto mês de vida o bebê deverá ser alimentado exclusivamente com o leite materno. Ele não precisará de água ou chás. Qualquer mudança nessa regra deverá ser feita com orientação do pediatra.

Cuidado com o açúcar

O açúcar em excesso é um perigo, e não só para os dentes. Pediatras da Escola de Medicina da Universidade de Yale concluíram uma investigação que comprovou antiga suspeita: a ingestão excessiva de açúcar pode deixar as crianças pequenas irritadas e dispersivas. É que o doce, além de provocar mais concentração de insulina no sangue, também aumenta a quantidade de adrenalina; e esse hormônio, em excesso, pode provocar ansiedade, excitação e dificuldade de concentração.

Segundo os pesquisadores, os efeitos negativos da ingestão de doces, balas e refrigerantes são maiores e mais evidentes quando a criança come açúcar com o estômago vazio.

Um exame das ondas cerebrais de crianças, logo após elas terem comido doces e bebido refrigerantes, revelou, na grande maioria dos casos, mudanças significativas na capacidade de concentração. Adultos, submetidos a dieta semelhante, não apresentam os mesmos efeitos.

Refrigerantes tem cafeína (com exceção de alguns). A cafeína é excitante e pode afetar a atenção e aumentar a inquietude. Excitante do sistema nervoso central, a cafeína em excesso vai desencadear reações de estresse, com liberação de adrenalina e outros hormônios as supra-renal.

cuidado com a quantidade de açúcar oferecida às crianças - Foto: cuncon / pixabay.com

Os açúcares fazem falta na alimentação, mas fazem parte da dieta habitual e são encontrados, por exemplo, no leite (lactose), nas frutas (frutose e sacarose). Pelo processo digestivo são desdobrados em açúcares mais simples. Por exemplo, a lactose é desdobrada em glicose + galactose e a sacarose em glicose + frutose. O amido das farinhas de cereais e dos tubérculos (como a batata) e raízes (como a mandioca) também são desdobrados no intestino em moléculas de glicose. O amido, na verdade, é uma longa cadeia de moléculas de açúcar (de glicose, para ser exato).

Em outras palavras: ninguém pode viver sem açúcar, que é uma fonte de energia, mas a dieta normal tem açúcares naturais em abundância, o suficiente para cobrir nossas necessidades. Esses açúcares não nos fazem mal nem provocam cáries, porque suas moléculas são grandes.

O uso habitual de balas, doces, biscoitos açucarados, geleias, refrigerantes, achocolatados e açucarados, provoca na boca a presença de um excesso de açúcares de moléculas pequenas, favorecendo a proliferação de bactérias e a formação de cáries e inflamação nas gengivas.

Ainda pior é o desequilíbrio alimentar provocado pela ingestão de alimentos açucarados artificialmente. Um dos segredos da boa alimentação é a proporção correta dos diversos nutrientes: proteínas (carnes, arroz integral, ovo, leguminosas como o feijão), gorduras (animais e vegetais), hidratos de carbono ou glicídios (farinhas, açúcares), sais minerais e vitaminas. Ao comer açúcares em excesso, normalmente há menos fome para comer os outros alimentos (uma tese, hoje, contestada por vários pesquisadores). O perigo da alimentação rica demais em açúcar e desbalanceada é a criança ficar obesa e anêmica.

Quando a mãe introduz para o bebê alimentos açucarados (banana amassada com muito açúcar, com mel ou com geleia, por exemplo), antes de introduzir a sopa de legumes, vai esbarrar na recusa de aceitação de alimento salgado. Algumas mães, percebendo o mecanismo de causa e efeito, cuidam de colocar açúcar na sopinha, mas é um erro.

Mas as frutas, raspadas com a colher ou em pedacinhos, introduzidas a partir do sexto mês de vida, sem açúcar e dadas com a colher, não atrapalham em coisa alguma a alimentação de sal.

Os chamados naturalistas costumam afirmar que o mel é um excelente substituto do açúcar e que não há restrições contra o seu uso. Não é verdade. O mel é um açúcar semelhante à sacarose, sofrendo as mesmas restrições. É uma fonte pobre de vitaminas, ao contrário do que divulga a propaganda doslobbies do mel. Além disso, a recomendação da ANVISA é de que crianças com menos de 1 ano NÃO devem consumir mel.

Quando consumido com outros nutrientes, especialmente proteínas, o açúcar é metabolizado com mais facilidade pelo organismo e os riscos de alterações de comportamento são reduzidos.

A pesquisa continua e, pelo menos por enquanto, os cientistas não encontraram relação entre a hiperatividade das crianças e o consumo excessivo de açúcar.

Qual a quantidade de açúcar pode-se consumir por dia?

Doces - foto: Evan Lorne/ShutterStock.com

Atualmente a recomendação máxima de açúcar é de 50 gramas, algo como 5 colheres de sopa rasa ou 6 colheres de chá ou 1/3 de xícara de chá.

Olhando assim parece fácil fazer o controle. O problema é que existe açúcar na bala, no chocolate, no refrigerante, no achocolatado que colocamos no leite, no biscoito/bolacha, nos sucos de caixinha e em uma infinidade de produtos industrializados, e saber exatamente quanto de açúcar tem em cada uma das porções que se consome diariamente desses produtos é praticamente impossível para nós, simples mortais.

Portanto, redobre a atenção e evite o consumo de açúcar ao máximo. Isso fica mais fácil se você diminuir o consumo de produtos industrializados.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/cuidado-com-o-acucar/

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: