Bebê prematuro tem tendência a problemas de visão

Quando um bebê nasce prematuro, nem todos os órgãos estão formados completamente, o que faz com que a criança precise de atenção especial. Esse cuidado é essencial, também, com a saúde dos olhos. Isso porque o recém-nascido pode não ter os vasos sanguíneos da retina perfeitos e isso faz com que ele se torne mais propenso a sofrer com complicações na visão.

Essa doença, retinopatia da prematuridade (conhecida pela sigla em inglês ROP), atinge bebês nascidos antes de completar 37 semanas de gestação. Segundo o oftalmologista e diretor do Eye Care Hospital de Olhos Dr. Renato Neves, existem três formas diferentes de a criança manifestar a doença.

Em um dos possíveis quadros, os vasos sanguíneos que não se formaram corretamente vão ser corrigidos naturalmente durante o primeiro ano de vida. Pode ser também que eles não se corrijam e deixem cicatrizes na retina, fazendo com que essas crianças usem óculos no futuro para enxergar de longe (miopia) ou desenvolvam ambliopia (síndrome do olho preguiçoso) ou estrabismo. Já em casos mais raros, as cicatrizes são mais graves e a correção com uso de óculos ou cirurgia não é possível. Essa condição mais severa pode causar descolamento da retina e, consequentemente, a cegueira.

Riscos da retinopatia da prematuridade

A criança também pode sofrer com alterações respiratórias, apneia, bradicardia, cardiopatia, infecção e anemia, além de ter necessidade de transfusão de sangue e oxigênioterapia. “A retinopatia da prematuridade tem cinco estágios, sendo o quinto e último o mais grave, com alterações vasculares na íris, rigidez da pupila e opacidade vítrea. Em 90% dos casos, entretanto, há uma regressão espontânea do processo – que geralmente é assimétrico, com pouco ou nenhum efeito residual ou alteração visual”, explica o especialista.

Tratamento

O tratamento da ROP pode ser feito com crioterapia ou fotocoagulação a laser da retina para reduzir o risco de complicações mais graves. Os efeitos são semelhantes e a opção por uma ou outra técnica depende das condições do paciente. De acordo com Neves, os riscos para o bebê são muito baixos.

Crioterapia – nesse procedimento é usada uma sonda fria na superfície do olho que, ao atingir a retina, destrói os vasos que não se desenvolveram corretamente.

Fotocoagulação a laser – O feixe de luz cauteriza a parte da retina onde os vasos sanguíneos não cresceram como deveriam.

Fonte: http://bebe.bolsademulher.com/0-a-1-ano/materia/bebe-prematuro-tem-tendencia-problemas-de-visao/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s