Não sabe como escolher o sutiã de amamentação? Leia esse texto!

Saiba que abertura ou cobertura da taça deve ter um bom sutiã de amamentação

O sutiã de amamentação é uma peça fundamental para um período de lactação totalmente benéfico para a mamãe e o bebê. Daí que seja tão importante escolher a melhor alternativa, seguindo algumas dicas essenciais.

Conheça 4 conselhos para escolher o seu sutiã de amamentação

1. Esteja atenta aos ajustes e tamanhos

Opte por umas peças com regulagem das alças e costas. Desse modo, você poderá utilizar o mesmo sutiã ao longo da gravidez e da lactação, mesmo que os seus seios aumentem de tamanho. Não se esqueça de testar os acessórios.

2. Escolha um sutiã firme

Esse acessório deve manter a sustentação dos seios. Apesar de ter de ser firme, o sutiã não pode apertar o peito. Experimente as regulagens das costas e de alça para adaptar a peça às suas formas.

“EXPERIMENTE AS REGULAGENS DAS COSTAS E DE ALÇA PARA ADAPTAR A PEÇA ÀS SUAS FORMAS”

3. Opte por uma cobertura da taça que envolva a maior parte do peito

Não se esqueça de que as peças mais decotadas podem causar uma compressão dos ductos mamários e acabam não garantindo a sustentação de que você tanto precisa.

4. O sutiã deve contar com uma abertura total

Não escolha uma abertura triangular: essa opção também pode originar uma compressão dos ductos mamários.

Lembramos que esse sutiã pode ser usado logo durante a gravidez para promover a contenção e a sustentação do peito, preparando-o para o período de aleitamento. Dormir vestindo um top ou sutiã no decorrer da gravidez também é importante para essa preparação.

Fonte do Site: gravidez.com.br 

Anúncios

Dê colo para que os seus filhos cresçam confiantes e emocionalmente saudáveis

Cansou de lidar com um olhar reprovador ou escutar uma crítica sempre que pega no seu bebê no colo? Pois bem, saiba que afinal a razão está do seu lado. As crianças mal-educadas porque receberam colo demais não passam de criações mitológicas para assustarem os pais. Essa é, aliás, uma discussão que deixou de estar aberta para dúvidas! Uma pesquisa realizada na Universidade de Notre Dame, e que incluiu 600 adultos, concluiu que o..

COLINHO DOS PAIS NÃO SÓ NÃO FAZ MAL COMO TRAZ BENEFÍCIOS PARA TODA A VIDA.

Dê colo e garanta a estabilidade emocional do seu bebê

Nenhum pai enfrenta o choro do seu bebê de ânimo leve e o primeiro instinto é sempre pegar no colo. Esse é um comportamento que ao longo da história veio gerando muitas críticas que agora se compravam estarem totalmente erradas. O colo afinal não vai deixar os seus filhos mal-acostumados. Pelo contrário. As demonstrações de afeto nos primeiros tempos do bebê são fundamentais para que ele cresça sem ansiedade e com uma saúde metal fortalecida.

No decorrer da pesquisa elaborada pela Universidade de Notre Dame, 600 adultos foram convidados a responder a perguntas sobre a sua vida de criança e a sua vida de adulto. As respostas vieram comprovar que as crianças mais acarinhadas evoluíram para adultos com boas capacidades de sociabilização e mais estáveis psicologicamente. Já as crianças que não receberam tantas atenções das suas famílias cresceram com uma chance superior de desenvolver distúrbios emocionais.

O papel dos pais é essencial na formação das crianças

A conduta dos progenitores em relação aos bebês nos seus primeiros tempos de vida vai deixar marcas para todo o sempre. O que acontece no primeiro ano de existência das crianças vai ter implicações no desenvolvimento cerebral. Nessa fase dá-se início à aprendizagem de reações por estímulos. O choro é desencadeado por situações mais estressantes e vai ficar ligado a esse desequilíbrio. Os mimos e os abraços vão inspirar a calma e a segurança.

Combater o preconceito face ao colo

Por isso, passe a ignorar os comentários de familiares e amigos que possam desmoralizar em ralação ao colo. Essa é uma ideia antiga, de um tempo que ainda não eram conhecidos os “princípios psicoemocionais do desenvolvimento infantil nos primeiros dois anos” de vida. Quem o garante é José Martins Filho, presidente da Academia Brasileira de Pediatria.

O preconceito acerca do colo e que ele cria crianças abusadas não passa disso mesmo, de um preconceito. O colo é uma das formais mais naturais que os pais têm de criar os seus primeiros vínculos com os filhos. Esse carinho é fundamental para que esse ser pequenino cresça livre de problemas emocionais.

Saboreie o tempo com a sua família

Nos dias que correm fica difícil organizar a vida para garantir tempo de qualidade em família. Os empregos são demasiado exigentes e em casa também há muitos afazeres que levam muito tempo. Por essas razões há que aproveitar ao máximo as poucas horas que permitem estar em família. Durante esse tempo é fundamental que haja entrega e que os pais brinquem e interajam com as crianças. Saboreie esse tempo com a maior calma do mundo para que o seu filho sinta a sua vontade em estar com ele.

Fonte do Site: gravidez.online

Poltrona Alice, lançamento 2019 TulipaBaby

Com design exclusivo e fabricação própria, marca apresenta móvel essencial para o quartinho do bebê

A amamentação é o maior gesto de amor e conexão entre mamãe e bebê, fortalecendo o vínculo por toda vida. Este momento é muito íntimo e, para torna-lo ainda mais especial, nada como uma boa poltrona de amamentação.Com design exclusivo, a Poltrona Alice possui estrutura em madeira maciça reflorestada e oferece duas opções de pés inclusas: balanço, indicado para os primeiros meses do bebê, e o fixo, que podem ser colocados posteriormente. O encosto anatômico conta com molas em ziguezague e manta siliconada que proporcionam total suporte das costas e apoio à cabeça da mamãe, que utilizará muito a poltrona especialmente nos primeiros meses, durante o dia, noite e madrugada. A tecnologia da espuma soft, conhecida por maior resistência e firmeza, impedindo deformidades ao longo tempo de uso, está presente em toda composição de assento e encosto da peça. Para complementar o conforto, a poltrona acompanha o pufe com as mesmas características.

Disponível em duas opções de acabamentos, natural e grafite, a Poltrona Alice é um móvel que pode permanecer no quartinho por longos anos, devido à qualidade dos materiais utilizados. Além da amamentação, a mamãe pode descansar enquanto observa o pequeno, pode também brincar com ele no colo e, futuramente, o móvel pode se tornar o destaque do cantinho de contar histórias. Também pode ser usada em outros ambientes, como na sala de estar ou TV.

Acesse www.tulipababy.com.br e confira!

Saiba como aproveitar da melhor forma o primeiro ano de vida do seu filho

Vai passar muito rápido, então vem aqui conferir como aproveitar essa fase

O primeiro ano é um dos mais importantes na vida do bebê (Foto: Getty Images)

O primeiro ano do bebê pode parecer uma missão impossível, mas na realidade vai deixar saudades. Então, relaxa, aproveite cada minuto porque passa muito rápido.

Os primeiros meses de vida vão passar rápido e você vai sentir falta dessa época, que é superimportante e recheada de experiências, que fazem toda a diferença para o futuro do bebê. É nesse período que, ele se desenvolve, aprende e cresce.

Para que você possa aproveitar essa fase ao máximo e seu filho se tornar uma criança esperta, reunimos etapas do crescimento que consideramos as mais importantes. Assim, você fica ligada e não perde nenhum momento dessa idade incrível.

Escolhemos as 16 etapas que você precisa ficar ligada:

AMAMENTAÇÃO

Essa é poderosa! Estudos de imagens cerebrais da Universidade de Brown, nos Estados Unidos, descobriram que crianças que mamaram por pelo menos 3 meses, tinham até 30% a mais de substância branca um tipo de tecido cerebral que isola as fibras nervosas e acelera o cérebro. Você não amamenta? Não se preocupe, os leites de fórmula também são uma alternativa saudável para o seu filho.

Amamentação é muito importante nos primeiros dias de vida do bebê (Foto: GettyImage)

SONECA

Não é surpresa que durante o primeiro ano de vida eles passem de 12 a 18 horas por dia dormindo. O sono dá ao cérebro do bebê o descanso necessário para abastecer e funcionar com eficiência. Ter horário para soneca pode torná-lo mais inteligente.

MANTENDO O FOCO

Quando eles interagem com brinquedo ou livro, estão tentando entender o que veem, ouvem, sentem e saboreiam. Em outras palavras: eles estão aprendendo. “Para um bebê de 3 meses, se concentrar em um objeto por 15 segundos é intenso demais. É algo parecido a um adulto que se concentra em uma tarefa por uma hora”, diz Claire Lerner, especialista em desenvolvimento infantil da Zero to Three, em Washington, nos Estados Unidos.

FRIAMENTE CALCULADO

Como eles não sabem falar, usam o corpo para se comunicarem por meio de movimentos propositais. Por isso, é comum que eles se expressem chutando, esticando os braços e se movimentando.

ATENÇÃO

Pesquisas mostram que o carinho e a atenção dos pais é superimportante para o desenvolvimento cerebral das crianças. Mostre ao seu filho que quando ele chorar, você o confortará; se ele quiser tentar algo novo, você estará junto para encorajá-lo. Ou seja: apoie-o nas decisões, console os medos e dê muito amor. Assim, ele crescerá sendo uma pessoa boa, mais feliz e confiante.

OLHO NO OLHO

Segundo pesquisas da Universidade de Iowa, Estados Unidos, aos 6 meses de vida as crianças aprendem a trocar olhares. Por isso, olhar nos olhos do seu filho sempre que puder é ótimo, cria um vínculo emocional forte e o ajuda a absorver informações. “Contato visual faz com que ele aprenda a entender melhor o mundo ao redor”, explica Malinda Carpenter, professora de psicologia do desenvolvimento na Universidade de St. Andrews, na Escócia.

DE NOVO, DE NOVO

Ler um livro vezes seguidas pode ser cansativo, mas é dessa maneira que bebês aprendem de verdade. “Eles tendem a repetir comportamentos até que os dominem”, conta Andrew Garner, presidente do Grupo de Desenvolvimento Infantil da Academia Americana de Pediatria.

MUITO AMOR!

Esmague seu filho o quanto quiser! Beijar, abraçar, tocar e sorrir são superalimentos para o cérebro dele, de acordo com Kathy Hirsh, codiretora do Laboratório Infantil na Temple University, em Ambler, Pensilvânia. Cada demonstração de afeto faz com que a criança se sinta segura, protegida e amada, contribuindo para a sua concentração e aprendizado.

ERA UMA VEZ…

Quanto mais você conversar com ele, melhor! Vá em frente e tire um tempo para narrar seu dia, inventar histórias, cantar ou ler um livro para o seu filho. Procure inserir palavras novas aos poucos, assim você também colabora para a expansão do vocabulário dele.

CONECTANDO OS PONTOS

Até os 3 anos, as conexões entre as células cerebrais, chamadas sinapses, crescem em um ritmo mais rápido do que em qualquer outro momento da vida. Por isso, quanto mais usadas – ou seja, para fala ou música, por exemplo – mais forte se torna aquela parte do cérebro.

OLHA ALI!

Por volta do primeiro ano de vida, seu filho vai começar a apontar o dedo para se comunicar. No início, será porque quer que você veja o que ele está vendo – e pode ser qualquer coisa. Depois, ele vai começar a indicar coisas que ele queira, como, por exemplo, uma comida específica.

ESCONDE-ESCONDE

Essa brincadeira é uma ótima forma de ensinar a ideia de permanência das coisas, objetos e pessoas. Ele aprende que mesmo quando algo (você, no caso) está fora de vista não significa que não exista mais.

SOM NA CAIXA

Aula de música é uma ótima opção para o primeiro ano do bebê. Um estudo canadense provou que as crianças que participam desse tipo de curso – com instrumentos e cantoria – se comunicam melhor, sorriem mais e apresentam respostas cerebrais mais sofisticadas comparadas às que são apenas ouvintes.

AÇÃO E REAÇÃO

“Até mesmo bebês de 8 meses podem mostrar gestos de compreensão”, Andrew Garner explica. Segundo o especialista do Grupo de Desenvolvimento Infantil da Academia Americana de Pediatria, é por volta dessa idade que eles começam a entender como uma pessoa está se sentindo. Na prática acontece assim: quando um estranho se aproximar, seu filho vai observar a expressão dele e decidir se deve interagir ou não. Outros exemplos são, se você estiver preocupado, logo ele ficará desconfiado; e se você estiver calmo, ele também vai relaxar!

1, 2, 3…

Eles entendem o conceito de quantidades diferentes e podem agrupar mentalmente as coisas a partir dos 11 meses, segundo Kathy Hirsh. “Não que eles sejam matemáticos, mas sabem quando há mais ou menos coisas. São ótimos buscadores de padrões”, ela explica. Por isso, a dica é dividir os blocos por tamanho ou cor durante as brincadeiras.

RECARREGANDO ENERGIAS

Criança segura é sinônimo de cérebro tranquilo. Então, mesmo que ela continue chorando enquanto está no colo, o toque ajuda a acalmar o sistema nervoso. Isso também previne o hormônio do estresse (o cortisol), que pode interferir no desenvolvimento.

Fonte do Site: http://www.paisefilhos.uol.com.br

Cuidados na alimentação para a mãe que amamenta

Veja quais alimentos devem ser evitados, quais precisam ser ingeridos e muito mais

É essencial que a mãe que amamenta tenha alguns cuidados especiais ao se alimentar. Isto porque algumas substâncias dos alimentos podem passar para o leite materno e prejudicar ou proporcionar benefícios para a saúde do bebê. A seguir, veja quais os cuidados principais que a mãe que amamenta deve ter com a alimentação:

Alimentos problemáticos

É importante tomar cuidado ao consumir alguns alimentos que podem causar gases no bebê, especialmente se essas comidas já causavam antes um desconforto na mulher. Estes alimentos são: leguminosas, como feijões, grão de bico e lentilha, batata doce, brócolis, ovos, couve-flor, cebola e outros. Caso a mãe ingira algum destes alimentos é importante observar se o bebê terá cólicas ou gases e se tiver o consumo da comida em questão deve ser suspendido. “O consumo de leite de vaca e seus derivados (mesmo sem lactose) também é associado a maiores manifestações de cólicas no bebê, por isso, uma boa alternativa é aumentar o consumo de fontes vegetais de cálcio na dieta, como: vegetais verdes escuros, chia, gergelim”, destaca Ana Laura Rodrigues Bordinhão.

Também é importante ficar atenta aos alimentos ingeridos pela mãe que podem causar possíveis irritantes como: café e chocolate.

Introdução com cuidado

Caso queira tentar comer o feijão ou outras leguminosas, comece ingerindo apenas o caldo e observe como o bebê irá reagir. Caso não haja problemas,  pode passar para o consumo dos bagos.

Frequência da alimentação

É importante que a mãe coma alimentos de alta qualidade a cada 3 ou 4 horas. “Ela também deve mastigar devagar e hidratar-se constantemente. Se houver respeito a esses princípios de bons hábitos alimentar, a ingesta se tornará instintivamente adequada, sem compulsões e exageros”, diz Ana Laura Rodrigues Bordinhão.

Fuja de dietas restritivas

A mulher que amamenta deve evitar dietas restritivas, como a Dukan. “Isto porque a perda de peso ocorre naturalmente com uma dieta equilibrada, é importante que mãe escolha alimentos de alta qualidade nutricional e os consuma até sentir-se saciada”, observa Ana Laura Rodrigues Bordinhão.

Consuma peixes

É importante que as mães que amamentam consumam mais peixes para fornecer um maior teor de DHA por meio do leite. “O DHA aumenta a capacidade cognitiva do bebê e estudos demonstram que as mães que têm um maior consumo das fontes de DHA apresentam maior teor desse componente em seu leite”, conta Ana Laura Rodrigues Bordinhão.

Tenha uma alimentação saudável

É essencial que a mãe que amamenta tenha uma alimentação muito variada e saudável. “Estudos demonstram que moléculas de sabor podem ser passadas através do leite materno, por isso, quanto mais saudável a dieta da mamãe, melhor será a aceitação do bebê no período da introdução alimentar, uma vez que ele terá mais capacidade de reconhecer o sabor, evitando a ‘temida’ recusa”, explica Ana Laura Rodrigues Bordinhão. Além disso, com uma alimentação saudável a mãe terá muito mais disposição para cuidar do bebê.

Por: Bruna Romanini – http://www.bebemamae.com

 

Vida (mais ou menos) em ordem

Rotina para todos pode facilitar muito as primeiras semanas do bebê em casa

Até a chegada do bebê, administrar a vida doméstica não tinha muito segredo. Trabalhar, fazer compras, ir à academia, frequentar um curso de especialização e até dar uma escapadinha para namorar no cinema serão questões que os casais aprendem a conciliar. Mas, quando a família volta da maternidade tudo muda: é um tal de dar mamar, trocar fraldas, dar banho, brincar no sol, tomar banho… Ufa! Vários outros afazeres passam a fazer parte do dia da família assim que se entra pela porta com a criança nos braços. Será que é possível dar conta de tudo?

Claro que sim. E dá até para encontrar graça com as mudanças todas se a família organizar uma agenda com horário para todas as atividades da criança. A ideia não é impor, mas criar uma sequência natural de atividades cotidianas, que seja funcional e agradável a todos. Deve-se observar eventuais sinais de insatisfação, para antecipar ou pular atividades, se necessário. Manter uma rotina para o recém-nascido facilita a vida de todos. O bebê fica mais seguro e confortável e para a mãe facilita seu entendimento sobre o ritmo do filho e ajuda a reconhecer sinais de cansaço, fome e irritação. Abaixo sugerimos uma agenda para bebês que não tenham refluxo, não sejam prematuros e estejam em curvas de peso a estatura adequadas para a faixa etária. Lembrando que a rotina precisa acompanhar o ritmo da criança e da família.

  • 6:00h –  mamada e troca de fralda
  • 7:00h – sono/brincadeira
  • 8:00h – banho de sol
  • 9:00h –  mamada e troca de fraldas
  • 10:00h – sono/brincadeiras
  • 11:30h – banho (1 opção)
  • 12:00h – mamada e troca de fralda
  • 13:00h – sono/brincadeira
  • 15:00h – mamada e troca de fraldas
  • 16:00h – passeio
  • 18:00h – mamada e troca de fraldas
  • 19:00h – sono/brincadeira
  • 20:30h – banho (2 opção)
  • 21:00h – mamada e troca de fralda
  • 3:00h – mamada e troca de fralda

Alimentação

Nos primeiros meses, a amamentação costuma ocorrer a cada duas ou três horas, a contar do início da mamada. Conforme o bebê cresce, o espaço de tempo aumenta, chegando a quadro horas durante o dia e oito à noite. Para evitar que a criança engasgue, dar sempre preferência por trocá-la antes das mamadas, caso seja após, esperar aproximadamente 30 minutos. Para que o bebê tire o máximo proveito das mamadas, caso seja após, esperar aproximadamente 30 minutos. Para que o bebê tire o máximo proveito das mamadas, é bom que se dê preferência a ambientes calmos da casa e que elas sejam sempre nos mesmos lugares. Muitos pais tendem a reduzir o horário entre uma mamada e outra quando o bebê não fica calmo. Porém, antes de oferecer comida é preciso identificar o real motivo da inquietação. Ele pode estar com a fralda suja, sentir frio, calor, cansaço, estar super estimulado ou ter necessidade de sucção. Mas claro, pode acontecer dele realmente estar com fome ou ter se alimentado mal na última mamada. Para quem sente dificuldade em estabelecer uma rotina quando a criança está no peito, a boa notícia é que a alimentação solida torna mais fácil definir horários.

Banho de sol e passeio

Em, geral, os pediatras liberam as saídas a partir de um mês de vida, quando o sistema imunológico está relativamente fortalecido. Os banhos de sol devem ocorrer antes das 10 horas e depois das 16. Se forem em locais protegidos do vento e com temperatura agradável o bebê pode ficar só de fralda. Faça passeios quando o sol estiver maia ameno. Além de serem excelentes para o estado de espirito do bebê, as saídas ao ar livre contribuem para o desenvolvimento, já que expõem a vários sons, odores e visuais.

Sono

Nas primeiras semanas de vida, os bebês costumam dormir 16 horas por dia, distribuídas em oito turnos de duas horas, sem distinção entre dia e noite. Com o passar as semanas, o sono noturno começa a se prolongar. A rotina das sonecas diurnas deve ser estabelecida conforme o ritmo do bebê e da casa. Já à noite, ele deve ir pra o berço, no máximo 21 horas. Mesmo que não durma logo, é bom se acostumar ir cedo para a cama. O ritual que antecede o sono tem de ser repetido diariamente para que o pequeno perceba a aproximação da hora de dormir. Massagem, banho, troca de fralda, mamada à meia luz, canção de ninar, carinho, leitura de história e até mesmo o fechar das cortinas na presença do bebê: os pais escolhem o que mais lhes agrada, contato que seja relaxante e prepare a criança para dormir.

Brincadeiras

Ao longo do dia, o bebê pode ser submetido a diversos tipos de brincadeiras e estímulos para que se sinta bem e desenvolva ao máximo suas capacidades. Escolha os momentos que ele tem mais disposição, quando estiver bem acordada, alimentado e com a digestão feita. Nos primeiros dois meses, as atividades podem se limitar ao carinho ou ao berço, com estímulos auditivos e visuais, como músicas suaves e mobiles. Outra ótima brincadeira é a de se esconder. O bebê percebe, que mesmo, que a mãe ou o pai não esteja em seu campo de visão, continua existindo. Isso facilita o entendimento de separações breves e rotineiras. Par estimular a visão, a sugestão é o descolamento de objetos a cerca de 30 centímetros dos olhos do bebê e, para estimular a audição e a compreensão, é importante conversar e cantar para que as brincadeiras estejam relaxantes, com carinho, massagens e canções de ninar.

Banho

Não existe um horário correto. Vale testar alguns para ver de qual o bebê mais gosta e levar em conta a temperatura. A hora mais quente do dia ou um pouco antes de dormir são boas opções. Os banhos devem ser rápidos, em torno de cinco minutos, para não ressecar a pele do bebê, acontecer pelo menos uma hora depois da última refeição e o ideal é que o sabonete seja glicerinado, pois ele também ajuda a não ressecar a pele.

Fonte: Revista Babies – Por Mariana Woj – Consultora: Elisa Alves Ramos – Enfermeira SOS Bebês

10 mandamentos da maternidade

Enfim seu filhote chegou! Bem vinda ao clube! O início da jornada não será fácil, vocês estão se conhecendo. Apresentamos os 10 mandamentos das mães com a humilde e pretensão de, quem sabe, ajudar a encarar aqueles dias mais difíceis com bom humor.

1. Renunciaras a uma casa limpa;
2. Possivelmente, nunca mais terás uma conversa sem ser interrompida;
3. Aprenderás a fazer compras às pressas;
4. Não cobiçaras a vida social da próxima;
5. Agora deverás realmente honrar tua mãe e teu pai;
6. Não mais terás todas as respostas;
7. Não mais precisarás de um relógio com alarme;
8. Deverás fazer cinco tentativas frustradas até conseguir sair de casa;
9. Perguntaras a ti mesma o que fazias com teu tempo;
10. Saberás que tudo isso vale a pena!

Fonte: Revista Babies/Mariana Woj

Quarto do bebê: o que não pode faltar

A descoberta da gravidez é um momento mágico e cheio de emoções. Logo, você começa a planejar o quarto, as compras e tudo aquilo que será necessário para a sua chegada. O quarto do bebê é o mais importante, ele deve ser funcional e aconchegante. Confira os 4 itens que não podem faltar no quarto do bebê.

Projeto: Cora Mader –  Fotografia: Jean Yoshii

  • Berço para o quarto do seu bebê

O berço é onde seu filho irá dormir até em média 2 anos, então invista em um produto confortável e seguro. Fique atento se ele possui certificação do INMETRO! E o mais bacana se ele vira mini cama, pois assim a criança poderá utilizar até seus 5 anos de idade.

  • Colchão

O colchão deve proporcionar conforto ao bebê, ele deve ter densidade ideal para a criança. Uma dica para manter a durabilidade e higiene do produto é comprar a capa protetora impermeável.

  • Cômoda + Trocador

A cômoda é item essencial e muito funcional, além de armazenar roupas, fraldas e acessórios, ela serve como apoio ao trocador, o que torna o momento da troca confortável e seguro que permitem trocar o bebê de frente, numa posição ergonômica.

trocador-da-comoda-premier-branco-0005106-2

Segurança: É de muita importância verificar características de segurança deste produto, a TulipaBaby disponibiliza para todos os modelos de cômodas o Kit Anti-tombamento, é uma ação pró ativa para tornar seus produtos ainda mais seguros.

  • Poltronas de Amamentação

Além de ser muito útil, precisa ser confortável. Pois é muito comum as mamães terem dores nas costas por falta de uma poltrona de amamentação. Os modelos com balanço são os mais desejados, pois proporciona momentos agradáveis para ninar o bebê, confira todos os modelos disponíveis.

Além deste itens, existem uma infinidade para que você possa agregar na funcionalidade e na decoração do ambiente.  Use a criatividade e transforme este ambiente agradável. Viva plenamente a maternidade.

Para lhe ajudar nesta fase tão linda, dispomos de uma diversidade de mobiliário para o Quarto do Bebê, acesse www.tulipababy.com.br e confira! 

Fissuras nos mamilos e dores na amamentação

Laserterapia ajuda mães que sofrem com o problema a não abandonarem o peito

Os problemas de amamentação são frequentes e podem ser um grande desafio para novas mães. De fato, a dor nas mamas, as fissuras (rachaduras) nos mamilos e a mastite são algumas das principais razões pelas quais as mães abandonam a amamentação prematuramente.

Existe um número limitado de tratamentos efetivos para essas condições, e a terapia com laser de baixa potência tem se mostrado muito eficaz para acelerar a cicatrização dos mamilos e aliviar a dor.

Problemas no mamilo são comuns e podem afetar mais da metade das mulheres que amamentam, e apresentam características tipicamente associadas, incluindo, mamilos doloridos, rachados, sangrando e com bolhas.

A cicatrização desses mamilos danificados pode ser difícil por causa do trauma continuamente repetido da sucção do bebê. Além disso, o mamilo danificado é propenso a infecção bacteriana e fúngica, resultando em problemas como ductos mamários obstruídos e mastite.

amamentando com problemas nos seios - Foto: grisguerra / pixabay.com

Um tratamento que está provando ser de grande benefício para a melhora de mamilos dolorosos é a terapia com laser de baixa potência. O laser acelera a cicatrização de feridas e a maioria das mães relatam alívio da dor e melhora na cicatrização após apenas uma sessão. O tratamento também é benéfico na desobstrução dos ductos mamários e no processo de cicatrização de mamas com mastite.

A laserterapia é um tratamento suave e indolor, geralmente aplicado por fisioterapeutas, que usa o laser no reparo tecidual, reduz a inflamação e a dor. Os tratamentos duram apenas alguns minutos e são inteiramente indolores e sem efeitos colaterais conhecidos.

Em um estudo recente, publicado nos Estados Unidos, as mulheres tratadas com o laser de baixa potência apresentaram uma diminuição significativa na intensidade da dor 24 horas após o tratamento e a terapia demonstrou ser eficaz na melhora de lesões em mulheres que amamentam, proporcionando alívio e prolongando a amamentação exclusiva.

Thalita Freitas é fisioterapeuta especialista em Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina da USP, atuante na clínica Athali Fisioterapia Pélvica Funcional, na área de reabilitação dos músculos do assoalho pélvico e obstetrícia.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/fissuras-nos-mamilos-e-dores-na-amamentacao/

A barriga da mulher depois do bebê

É provável que você esteja surpresa com a aparência da sua barriga depois do nascimento do bebê.  Ele não está mais lá, mas mesmo assim, em volta do umbigo, a barriga está estufada. E você parece estar grávida de 6 meses!  As pessoas até perguntam na rua para quando é o bebê, e você tem de dizer, superconstrangida, que já nasceu…

Mulher se pesando

Por que minha barriga ainda parece de grávida?

Além do tamanho, muitas mulheres ficam com uma linha escura atravessando a barriga na vertical, a chamada linea nigra, e com um monte de estrias espalhadas pela pele.  Quem fez cesariana fica ainda com a cicatriz da operação, normalmente na “linha do biquíni”. O formato da barriga pode mudar um pouco também no caso de cesariana, já que os músculos são cortados e recosturados. Respire fundo. Demora um pouco para o corpo principalmente a barriga  se recuperar totalmente após a gravidez.  Imagine que sua barriga era um balão, que foi enchendo conforme o bebê crescia. Quando ele nasceu, o balão não estourou de uma vez o “ar” vai saindo de mansinho. 

Assim que o bebê nasce, hormônios começam a atuar sobre o útero para que ele volte ao tamanho que era antes. Isso demora mais ou menos um mês para acontecer.  Além disso, todas as células do corpo que tinham inchado devido à gestação começam a liberar líquido, que vai saindo em forma de urina, suor e secreções vaginais.  A gordura extra que você acumulou na gravidez, para nutrir o bebê, vai começar a ser gasta (em especial se você estiver amamentando ou fazendo exercícios físicos, após a liberação do médico). De qualquer jeito, você vai precisar de no mínimo algumas semanas para ver algum resultado. 

As estrias e a linha escura na barriga infelizmente duram mais. Pelo menos as estrias vão clareando e, entre 6 meses e 1 ano depois do parto, assumem aquela cor mais clara que o tom da pele, ficando menos visíveis. A linea nigra vai clareando aos poucos ao longo de 1 ano, mas pode não desaparecer por completo.

Quanto vai demorar para minha barriga voltar ao tamanho normal após o parto?

Todas nós já vimos com nossos próprios olhos aquelas mulheres maravilhosas que aparecem magérrimas, de calça jeans e miniblusa, um mês depois do parto. Sim, isso pode acontecer, mas é raro. 
Para a maioria das mulheres, leva meses para se livrar da incômoda barriguinha de grávida — e, às vezes, ela simplesmente não vai embora. 

Em primeiro lugar, tenha paciência. Se levou 9 meses para a barriga esticar, é justo que leve outros 9 meses ou um pouco mais para ela voltar ao tamanho normal. 

A rapidez da transição para mais perto do “normal” depende de como era seu corpo antes de engravidar, de quantos quilos você engordou na gravidez, do nível de atividade física e de algo que você não tem como mudar: seus genes. 

Mulheres que engordaram menos de 14 kg na gravidez, que fizeram exercícios físicos durante a gestação, que amamentam e que estão no primeiro filho tendem a emagrecer mais rápido. 

Se você não estiver amamentando, vai precisar prestar atenção na alimentação. Agora que não está mais grávida não precisa de tantas calorias.

O que posso fazer para minha barriga ficar mais bonita depois da gravidez?

A amamentação ajuda bastante, principalmente nos primeiros meses. Mulheres que amamentam queimam mais calorias para produzir o leite, portanto costumam emagrecer mais rápido que as que não amamentam. 

Dar de mamar no peito também estimula a produção de hormônios que fazem o útero se contrair e voltar ao tamanho normal. 

Mas muitas mães que amamentam reclamam dizendo que têm dificuldade de perder os últimos 2 a 5 quilos. Há quem afirme que o organismo guarda uma reserva de gordura para produzir o leite, mas não há provas definitivas disso. 

Exercícios também são eficazes. Mas converse com o medico: dependendo do tipo de parto, você pode ter de esperar algumas semanas. 

Dá para começar aos poucos, com caminhadas, por exemplo. Depois da consulta de 6 semanas após o parto, se o obstetra liberar, você pode começar a fazer exercícios mais vigorosos, como pilates, por exemplo, que ajuda a tonificar o abdome. 

Boa postura é outro fator que influencia. “Muitas mulheres ficam com uma postura relaxada após o fim da gestação, o que é natural, uma vez que passaram nove meses sem encolher a barriga. Obrigar-se a encolher a barriga após o parto faz muita diferença na recuperação da musculatura abdominal”, diz a obstetra Eleonora F. Stocchero Fonseca, do Conselho Médico do BabyCenter. 

Cuidado para não fazer regime enquanto estiver amamentando. O aleitamento é seu maior aliado na perda de peso.  E você vai precisar de bastante energia para lidar com um bebê pequenininho que ainda não dorme a noite toda.

Adianta usar cinta pós-parto ou modeladores?

O assunto é polêmico. As cintas pós-parto eram praticamente obrigatórias em caso de cesárea há alguns anos, mas agora os especialistas divergem. 

Por um lado, elas melhoram o aspecto externo da silhueta e dão mais segurança à mulher logo depois de uma cesariana. Isso porque é possível ter aflição dos pontos e da sensação de que os órgãos estão meio soltos dentro da barriga (pois estão um pouco mesmo). 

Por outro, há especialistas que acreditam que o uso constante da cinta impeça os músculos de se movimentar e atrapalhem o fluxo sanguíneo o que, em vez de ajudar, pioraria a recuperação dos tecidos. 

Além disso, em caso de parto normal, recomendam que só se use a cinta depois do primeiro mês, quando o útero já estiver no lugar, para não correr o risco de ele pressionar a musculatura pélvica, o que poderia levar a problemas como o de “bexiga caída”. 

Portanto, converse com o médico para saber qual é a orientação dele quanto ao uso de cinta ou faixa pós-parto. 

Se você já tiver dado à luz há mais de dois meses, pode experimentar cintas e modeladores, mas saiba que não há garantia de resultado. E certifique-se de que eles estão confortáveis, pois nunca devem ser apertados. 

Fonte do Site: https://brasil.babycenter.com/a4300004/a-barriga-da-mulher-depois-do-beb%C3%AA