Vida (mais ou menos) em ordem

Rotina para todos pode facilitar muito as primeiras semanas do bebê em casa

Até a chegada do bebê, administrar a vida doméstica não tinha muito segredo. Trabalhar, fazer compras, ir à academia, frequentar um curso de especialização e até dar uma escapadinha para namorar no cinema serão questões que os casais aprendem a conciliar. Mas, quando a família volta da maternidade tudo muda: é um tal de dar mamar, trocar fraldas, dar banho, brincar no sol, tomar banho… Ufa! Vários outros afazeres passam a fazer parte do dia da família assim que se entra pela porta com a criança nos braços. Será que é possível dar conta de tudo?

Claro que sim. E dá até para encontrar graça com as mudanças todas se a família organizar uma agenda com horário para todas as atividades da criança. A ideia não é impor, mas criar uma sequência natural de atividades cotidianas, que seja funcional e agradável a todos. Deve-se observar eventuais sinais de insatisfação, para antecipar ou pular atividades, se necessário. Manter uma rotina para o recém-nascido facilita a vida de todos. O bebê fica mais seguro e confortável e para a mãe facilita seu entendimento sobre o ritmo do filho e ajuda a reconhecer sinais de cansaço, fome e irritação. Abaixo sugerimos uma agenda para bebês que não tenham refluxo, não sejam prematuros e estejam em curvas de peso a estatura adequadas para a faixa etária. Lembrando que a rotina precisa acompanhar o ritmo da criança e da família.

  • 6:00h –  mamada e troca de fralda
  • 7:00h – sono/brincadeira
  • 8:00h – banho de sol
  • 9:00h –  mamada e troca de fraldas
  • 10:00h – sono/brincadeiras
  • 11:30h – banho (1 opção)
  • 12:00h – mamada e troca de fralda
  • 13:00h – sono/brincadeira
  • 15:00h – mamada e troca de fraldas
  • 16:00h – passeio
  • 18:00h – mamada e troca de fraldas
  • 19:00h – sono/brincadeira
  • 20:30h – banho (2 opção)
  • 21:00h – mamada e troca de fralda
  • 3:00h – mamada e troca de fralda

Alimentação

Nos primeiros meses, a amamentação costuma ocorrer a cada duas ou três horas, a contar do início da mamada. Conforme o bebê cresce, o espaço de tempo aumenta, chegando a quadro horas durante o dia e oito à noite. Para evitar que a criança engasgue, dar sempre preferência por trocá-la antes das mamadas, caso seja após, esperar aproximadamente 30 minutos. Para que o bebê tire o máximo proveito das mamadas, caso seja após, esperar aproximadamente 30 minutos. Para que o bebê tire o máximo proveito das mamadas, é bom que se dê preferência a ambientes calmos da casa e que elas sejam sempre nos mesmos lugares. Muitos pais tendem a reduzir o horário entre uma mamada e outra quando o bebê não fica calmo. Porém, antes de oferecer comida é preciso identificar o real motivo da inquietação. Ele pode estar com a fralda suja, sentir frio, calor, cansaço, estar super estimulado ou ter necessidade de sucção. Mas claro, pode acontecer dele realmente estar com fome ou ter se alimentado mal na última mamada. Para quem sente dificuldade em estabelecer uma rotina quando a criança está no peito, a boa notícia é que a alimentação solida torna mais fácil definir horários.

Banho de sol e passeio

Em, geral, os pediatras liberam as saídas a partir de um mês de vida, quando o sistema imunológico está relativamente fortalecido. Os banhos de sol devem ocorrer antes das 10 horas e depois das 16. Se forem em locais protegidos do vento e com temperatura agradável o bebê pode ficar só de fralda. Faça passeios quando o sol estiver maia ameno. Além de serem excelentes para o estado de espirito do bebê, as saídas ao ar livre contribuem para o desenvolvimento, já que expõem a vários sons, odores e visuais.

Sono

Nas primeiras semanas de vida, os bebês costumam dormir 16 horas por dia, distribuídas em oito turnos de duas horas, sem distinção entre dia e noite. Com o passar as semanas, o sono noturno começa a se prolongar. A rotina das sonecas diurnas deve ser estabelecida conforme o ritmo do bebê e da casa. Já à noite, ele deve ir pra o berço, no máximo 21 horas. Mesmo que não durma logo, é bom se acostumar ir cedo para a cama. O ritual que antecede o sono tem de ser repetido diariamente para que o pequeno perceba a aproximação da hora de dormir. Massagem, banho, troca de fralda, mamada à meia luz, canção de ninar, carinho, leitura de história e até mesmo o fechar das cortinas na presença do bebê: os pais escolhem o que mais lhes agrada, contato que seja relaxante e prepare a criança para dormir.

Brincadeiras

Ao longo do dia, o bebê pode ser submetido a diversos tipos de brincadeiras e estímulos para que se sinta bem e desenvolva ao máximo suas capacidades. Escolha os momentos que ele tem mais disposição, quando estiver bem acordada, alimentado e com a digestão feita. Nos primeiros dois meses, as atividades podem se limitar ao carinho ou ao berço, com estímulos auditivos e visuais, como músicas suaves e mobiles. Outra ótima brincadeira é a de se esconder. O bebê percebe, que mesmo, que a mãe ou o pai não esteja em seu campo de visão, continua existindo. Isso facilita o entendimento de separações breves e rotineiras. Par estimular a visão, a sugestão é o descolamento de objetos a cerca de 30 centímetros dos olhos do bebê e, para estimular a audição e a compreensão, é importante conversar e cantar para que as brincadeiras estejam relaxantes, com carinho, massagens e canções de ninar.

Banho

Não existe um horário correto. Vale testar alguns para ver de qual o bebê mais gosta e levar em conta a temperatura. A hora mais quente do dia ou um pouco antes de dormir são boas opções. Os banhos devem ser rápidos, em torno de cinco minutos, para não ressecar a pele do bebê, acontecer pelo menos uma hora depois da última refeição e o ideal é que o sabonete seja glicerinado, pois ele também ajuda a não ressecar a pele.

Fonte: Revista Babies – Por Mariana Woj – Consultora: Elisa Alves Ramos – Enfermeira SOS Bebês

Anúncios

Truques para cuidar da pele do bebê no Verão

Especialistas dão dicas para curtir a estação mais quente do ano com seu bebê sem preocupação

A temporada mais quente do ano está chegando. Nesse período, os pais devem redobrar a atenção com a pele dos pequenos.  “Durante os três primeiros anos de vida, a pele da criança é de 20 a 30% mais fina que as dos adultos, por isso costuma ser mais ressecada, além de ser mais sensível ao calor e a luz do sol, precisando ser constantemente protegida”, comentam as enfermeiras da Criogênesis, Natalia Modica e Luciana Santos. 

Para evitar desconfortos e aproveitar todo o verão sem preocupações, as especialistas separaram algumas dicas. Confira:

Verifique a temperatura e os produtos do banho

É indicado que a água do banho seja morna, e não quente. Além disso, a duração deve ser no máximo 10 minutos. Esses dois fatores já diminuem a perda de água da pele. Outro ponto importante é usar produtos que tenham o pH ligeiramente ácido, assim como é a pele do bebê, garantindo uma limpeza suave e sem ressecamento. Será melhor se o sabonete usado for líquido em vez de barra, pois ele é mais suave e fácil de aplicar.

Atente-se ao protetor solar 

As mães devem evitar a exposição solar direta dos bebês de até seis meses. Para protegê-los, aposte em roupas leves que cubram todo o corpo, chapéus e carrinhos de bebê com tecido que filtre raios UVA e UVB. O filtro solar pode ser utilizado a partir do sexto mês, devendo ser do tipo baby ou mineral.

Controle o suor

A miliária, mais conhecido como brotoeja, é uma erupção cutânea ocasionada pelo suor abundante, que por não chegar a superfície da pele, desencadeia uma inflamação das glândulas sudoríparas causando irritação frequente e coceira. Para tratar, o melhor a fazer é aliviar o desconforto do bebê, principalmente ao refrescar e secar a área afetada, com banhos e roupas frescas. Em caso de dúvidas, procure o pediatra.

Hidrate a pele

A utilização de cremes, loções ou pomadas emolientes, específicas e adequadas à pele frágil e imatura do bebê devem fazer parte dos cuidados e dos hábitos de higiene. Além de proteger a pele contra as agressões externas, esses produtos ajudam a mantê-la saudável e hidratada.

cuidar da pele do bebê no Verão - Foto: hisins30 / pixabay.com

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/truques-para-cuidar-da-pele-do-bebe-no-verao/

Tem problema usar talco na pele do bebê?

Resultado de imagem para talco do bebe

Fonte da Imagem: http://www.esperandobebe.com.br

Apesar do cheirinho gostoso, os médicos não recomendam que se use talco em bebês, porque, por ser formado por partículas minúsculas, ele pode facilmente ser inalado e aspirado pela criança, ficando preso nas vias respiratórias e nos pulmões e provocando dificuldades para respirar. O mesmo vale para polvilho.

Além disso, não há comprovação nenhuma de que talco ajude a prevenir ou melhorar assaduras ou outros problemas de pele, como brotoejas.

No caso das assaduras, o melhor é, a cada troca, limpar bem o bumbum do bebê e secar com uma fralda de pano ou outro tecido bem macio, para não irritar ainda mais o local. Depois de bem seco, aplique uma fina camada de creme antiassadura. 

Se quiser usar alguma coisa para dar uma “secada” a mais na pele do seu filho, prefira maisena ou outros produtos à base de amido de milho, já que eles são compostos por partículas maiores. Ainda assim, todo o cuidado é necessário para não passar nem pulverizar nada próximo ao rosto do bebê. Ponha uma pequena quantidade na sua mão primeiro.

Preste atenção também para deixar o produto longe do alcance da criança. Quando for utilizar, tenha cautela no momento de virar a embalagem e evitar que se crie aquela “nuvem” de pó perto de vocês.

Fonte do Site: https://brasil.babycenter.com/x25008283/tem-problema-usar-talco-na-pele-do-beb%C3%AA

Devo parar de usar lencinhos se a assadura do bebê piorar?

mãe trocando o bebê

Por mais convenientes que sejam, muitos lencinhos umedecidos contêm substâncias químicas que podem irritar a pele do bebê. Isso, porém, não quer dizer que com certeza causarão problemas de pele. Tudo depende da sensibilidade de cada criança. Além disso, lencinhos em si não provocam assaduras.

As assaduras comuns costumam aparecer em função de muita umidade na região do bumbum (junto com a exposição às fezes e urina) ou quando a pele é muito esfregada na hora da limpeza, seja com lencinhos, fralda de pano ou algodão molhado em água, e acaba se esfolando um pouco. 

Se seu filho tiver alguma reação ou vermelhidão na pele, ou ainda uma assadura que não passa, é melhor sim parar de usar os lencinhos e só limpar o bumbum com algodão levemente molhado na água morna ou direto no chuveiro/chuveirinho. Às vezes você pode também tentar mudar de marca de lencinho para testar se é isso que está causando alguma reação

Só não exagere na limpeza com lencinhos (depois de toda troca de fralda de xixi, por exemplo), porque aí a região do bumbum pode acabar ficando sempre úmida e, consequentemente, mais suscetível a assaduras. Algumas mães secam a pele do bebê com uma fraldinha de pano ou algodão seco depois de passar o lenço umedecido, para tirar o excesso de umidade.

Muita gente também prefere só usar os lencinhos fora de casa e algodão com água no dia a dia.

Estimulando o paladar do bebê

Paladar deve ser estimulado livre dos preconceitos dos pais, se os pais não gostam de determinado alimento o bebê poderá gostar, desde que tenha a chance de conhecer o sabor

Bebê comendo brócolis - foto: Red pepper/ShutterStock.com

ATENÇÃO!
Até o sexto mês de vida o bebê deverá ser alimentado exclusivamente com o leite materno. Ele não precisará de água ou chás. Qualquer mudança nessa regra deverá ser feita com orientação do seu pediatra.

Estimulando o paladar

A boca é importantíssima para o bebê porque é por ela que a criança satisfaz sua necessidade básica mais forte: a fome. Também é com a boca que ele estabelece o melhor contato com a mãe, mamando. A boca é a sua primeira e principal fonte de prazer. E é por onde ele procura tomar conhecimento das coisas, tanto assim que ele leva à boca tudo o que pode pegar. Além disso, é com a boca que ele se comunica, fazendo barulho ao chorar.

O bebê, no começo, só distingue quatro sabores: doce, salgado, amargo e azedo. O paladar é o menos desenvolvido dos sentidos da criança ao nascer, até porque ela não precisa dele, uma vez que a natureza preparou-a para apenas um tipo de alimentação: o leite materno.

Isto quer dizer que o bebê tem muito a aprender pela boca, se você permitir que ele a use. Há mães que vivem tentando impedir o bebê de levar os dedos à boca, ou os objetos que ele consegue segurar. É um erro, primeiro porque estão limitando muitos as experiências da criança e, depois, porque o bebê tem uma fase oral, em que o uso da boca tem muita importância para o seu desenvolvimento psicológico e intelectual. Se sua filha ou filho passa por essa fase reprimido e não usa a boca suficientemente, a fase vai demorar a passar e ele poderá ficar por muito tempo chupando o dedo, preso à chupeta ou com problemas psicológicos.

Bebês precisam de liberdade para usar a boca: faz parte do seu aprendizado, do seu desenvolvimento. O cuidado a tomar é evitar que ele tenha acesso a coisas que não deve mesmo colocar na boca, por serem perigosas de engolir ou porque estejam sujas. Mas não reprima o bebê além da conta, porque a boca é seu primeiro contato com o mundo, sua primeira comunicação, sua primeira escola de vida.

O que é o gosto?
É uma sensação bem mais complexa que um simples sabor na boca, da qual participam todos os sentidos. O odor, a aparência, a consistência, o volume e a temperatura de um alimento são também elementos que contribuem para a formação de uma percepção gustativa global. O gosto de uma laranja não se resume aquela sensação doce-azeda na língua. O que dá água na boca é também o perfume característico, a textura da polpa e até a cor tão apetitosa.

Não use mamadeira. A má higiene da mamadeira é a principal responsável pela maior parte das doenças diarreicas em crianças pequenas. Além disso, a criança precisa começar a desenvolver o paladar, e misturar alimentos, oferecendo-os na mamadeira, não dá essa oportunidade. Permita que ele reconheça os sabores de diferentes alimentos, salgados e doces, e que use a boca. Observe e anote para conhecer suas preferências e para respeitar as suas rejeições.

Ao estimular seu paladar, leve-o a reconhecer os alimentos sem vê-los, pelo sabor e pelo cheiro. Isso ajuda muito o desenvolvimento intelectual da criança. E procure não transmitir preconceitos pessoais ou culturais ligados ao paladar. Na educação do paladar, como em todas as outras, o melhor estímulo é a riqueza de experiências sem preconceito: deixe o bebê experimentar de tudo, mesmo do azedo e do amargo, porque ele pode gostar e ter mais possibilidades de satisfação alimentar.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/estimulando-o-paladar/ 

Fissuras nos mamilos e dores na amamentação

Laserterapia ajuda mães que sofrem com o problema a não abandonarem o peito

Os problemas de amamentação são frequentes e podem ser um grande desafio para novas mães. De fato, a dor nas mamas, as fissuras (rachaduras) nos mamilos e a mastite são algumas das principais razões pelas quais as mães abandonam a amamentação prematuramente.

Existe um número limitado de tratamentos efetivos para essas condições, e a terapia com laser de baixa potência tem se mostrado muito eficaz para acelerar a cicatrização dos mamilos e aliviar a dor.

Problemas no mamilo são comuns e podem afetar mais da metade das mulheres que amamentam, e apresentam características tipicamente associadas, incluindo, mamilos doloridos, rachados, sangrando e com bolhas.

A cicatrização desses mamilos danificados pode ser difícil por causa do trauma continuamente repetido da sucção do bebê. Além disso, o mamilo danificado é propenso a infecção bacteriana e fúngica, resultando em problemas como ductos mamários obstruídos e mastite.

amamentando com problemas nos seios - Foto: grisguerra / pixabay.com

Um tratamento que está provando ser de grande benefício para a melhora de mamilos dolorosos é a terapia com laser de baixa potência. O laser acelera a cicatrização de feridas e a maioria das mães relatam alívio da dor e melhora na cicatrização após apenas uma sessão. O tratamento também é benéfico na desobstrução dos ductos mamários e no processo de cicatrização de mamas com mastite.

A laserterapia é um tratamento suave e indolor, geralmente aplicado por fisioterapeutas, que usa o laser no reparo tecidual, reduz a inflamação e a dor. Os tratamentos duram apenas alguns minutos e são inteiramente indolores e sem efeitos colaterais conhecidos.

Em um estudo recente, publicado nos Estados Unidos, as mulheres tratadas com o laser de baixa potência apresentaram uma diminuição significativa na intensidade da dor 24 horas após o tratamento e a terapia demonstrou ser eficaz na melhora de lesões em mulheres que amamentam, proporcionando alívio e prolongando a amamentação exclusiva.

Thalita Freitas é fisioterapeuta especialista em Saúde da Mulher pela Faculdade de Medicina da USP, atuante na clínica Athali Fisioterapia Pélvica Funcional, na área de reabilitação dos músculos do assoalho pélvico e obstetrícia.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/fissuras-nos-mamilos-e-dores-na-amamentacao/

Quando posso levar meu filho para cortar o cabelo pela primeira vez?

Imagem relacionada

Caso você tenha um bebê com bastante cabelo, a recomendação para o primeiro corte, em geral, é de esperar que ele tenha no mínimo três ou quatro meses e possa manter a cabeça mais erguida sozinho enquanto você o segura no colo. 

Se você puder, porém, adiar até cinco ou seis meses, o pescoço dele já estará bem mais firme e facilitará bastante o trabalho, além de ser mais confortável para ele.

“Independentemente do tônus do pescoço do bebê, antes de um ano sempre será necessária uma leve e delicada contenção da cabeça, para evitar movimentos bruscos e eventuais acidentes”, observa o pediatra Fábio Picchi, integrante do Conselho Médico do BabyCenter.

Se o seu bebê é bem cabeludinho e você acha que ele vai precisar de uma aparada no cabelo antes do primeiro “corte oficial”, você mesma pode cortar em casa se tiver jeito e confiança. Mas prepare-se para que o resultado fique longe de ser perfeito. 

Lembre também que o cabelo dos bebês costuma cair nos primeiros meses de vida (um processo absolutamente normal) e formar buracos estranhos na cabeça devido à posição repetida de dormir no mesmo lado.

Uma boa tesoura ajuda a dar um corte mais rápido e bem feito. As tesouras mais velhas podem puxar o cabelo, machucando e deixando o corte desigual. Se você pretende cortar o cabelo de seu filho regularmente, invista em uma boa tesoura de cabeleireiro. E, se seu filho resistir ao corte ou se mexer muito, tente novamente outro dia, ou espere até ele adormecer (este é um truque que muitos pais usam, não só para cortar o cabelo, mas também para cortar as unhas das mãos e pés do bebê).

Por outro lado, há muitos bebês carequinhas que levam até mais de um ano para enfrentar uma sessão de corte de cabelo.

Fonte do Site: https://brasil.babycenter.com/x25008037/quando-posso-levar-meu-filho-para-cortar-o-cabelo-pela-primeira-vez

Os cuidados com o bumbum do bebê

Antiassadura da Bayer protege, hidrata e ajuda na recuperação da pele dos pequenos

A rotina de cuidados com o bebê exige atenção e dedicação, além, é claro, de carinho e amor. Por isso, os pais, que querem sempre o melhor para seus filhos, devem estar atentos para prevenir problemas que podem afetar a saúde e o bem-estar dos pequenos.

A assadura inflamação causada pelo contato prolongado da pele com as substâncias presentes nas fezes e na urina que ficam na fralda e que podem agredir a pele delicada do bebê  é um dos problemas que mais acometem os pequenos nos primeiro anos de vida, justamente pelo fato de a pele ser muito sensível nesta fase.

Se não houver o tratamento adequado, a assadura pode piorar, gerando um desconforto mais prolongado para o bebê. No entanto, para os pais e responsáveis, o ideal é prevenir para que as crianças não sofram com assaduras.

Imagem relacionada

Para evitar esse tipo de problema, o ideal é fazer a higiene completa com água morna e algodão, removendo delicadamente eventuais resquícios de fezes, urina, pomadas e outras secreções.

Trocar a fralda sempre que parecer cheia também ajuda. Isso porque, quando úmida e abafada, a região fica mais favorável ao aparecimento das assaduras. Portanto, é importante manter a pele do bumbum do bebê sempre limpa e seca.

Além disso, na hora de prevenir assaduras, os pais devem sempre optar por produtos que oferecem um cuidado a mais aos bebês, como Bepantol® Baby, creme antiassadura da Bayer que possui tripla proteção. Com uma camada fina, o produto protege, hidrata e ajuda na recuperação da pele sensível dos pequenos.

Espalhando adequadamente, Bepantol® Baby cria uma camada protetora sobre a pele, deixando-a respirar e sem abafar a região. E, como a pele do bebê se renova de maneira mais rápida que nas crianças maiores ou nos adultos, o produto ainda age nessa renovação, ajudando na recuperação natural.            

O antiassadura da Bayer também exerce uma hidratação compatível com as necessidades do bebê. Fácil de aplicar e de tirar, não agride o bumbum dos pequenos na hora de passar ou de tirar, e sua fórmula hipoalergênica não contém agentes potencialmente irritantes, como fragrâncias, corantes e conservantes. O produto pode ser encontrado nas versões de 30, 60 e 100 gramas.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/os-cuidados-com-o-bumbum-do-bebe/

A higiene do seu filho a começar pelos pés

O pé precisa respirar. Deixar a garotada andar descalça em casa é uma boa pedida para o calor. No inverno, basta atentar para a friagem!

É cada vez mais comum o uso frequente de tênis pela criançada. Porém, essa prática pode causar problemas quanto à higiene dos pés do seu filho. Isso porque, com o uso prolongado de calçados fechados, a umidade e o calor podem contribuir para o surgimento de micro-organismos nocivos, principalmente fungos, causadores das frieiras e micoses. Caso o problema não seja tratado corretamente, há riscos de gerar infecções bacterianas.

“O pé precisa respirar. Deixar a garotada andar descalça em casa é uma boa pedida para o calor. No inverno, basta atentar para a friagem”, indica a pediatra Márcia Rodrigues. Porém, para evitar as micoses, não permita que seu filho ande descalço em pisos constantemente úmidos, como lava pés e vestiários. Segundo ela, não são aconselháveis os tênis e sandálias de plástico. Couro é o material indicado.

Resultado de imagem para pé de criança

Vale lembrar que os bebês possuem má circulação nas extremidades do corpo, por isso sentem mais frio. Então, é sempre importante manter os pés do seu filho aquecidos. Para a garotada um pouco maior, o ideal é nunca utilizar o mesmo tênis por dois dias seguidos. “Alternar o uso dos calçados e deixá-los tomando sol por algumas horas nos dias em que não forem utilizados é uma prática que deveria ser adotada pelos pais”, explica a pediatra.

Outra dica é a aplicação de talco anti-séptico antes de usar calçados fechados, para diminuir a umidade e evitar o mau cheiro. Após o banho, verifique e acostume seu filho a secar sempre bem os pés, principalmente entre os dedos. Manter as unhas curtas e escovadas também é importante.

E por falar em unhas, alguns cuidados simples podem evitar que a criançada sofra com o problema de unha encravada. Não cortar as unhas até o “sabugo”, deixando sempre uma pequena porção da borda livre, é o procedimento correto. Nunca corte as unhas do seu filho pelos cantos e não retire ou afaste as cutículas, elas são responsáveis pela proteção das unhas quanto à ação de substâncias químicas e micro-organismos.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/a-higiene-do-seu-filho-a-comecar-pelos-pes/ 

Lista da maternidade

Chegada a hora do parto é preciso estar com tudo à mão para não esquecer de nada. Veja o que você deve levar para a maternidade no dia do parto

lista da maternidade - Foto:   yanalya / Freepik

Uma lista de itens para você levar para a maternidade e ficar tranquila e confortável.

O que levar para a maternidade?

O que deve ser levado ao Hospital no momento da internação? A sacola da mamãe e do bebê devem ser preparadas desde o 7º mês de gestação.

Sacola da mamãe

  • 01  pacote de absorvente próprio para o pós-parto;
  • 01 chinelo de quarto;
  • 03 jogos de camisolas que sejam de fácil manejo para a amamentação;
  • 06 calcinhas de tamanho maior do que usava antes de engravidar;
  • 01 cinta pós-parto;
  • 01 roupa para o dia de alta;
  • 02 sutiãs de amamentação;
  • 01 pomada pra rachadura de seio;
  • protetores de seios;
  • absorventes para seios;
  • concha para seio;
  • máquina fotográfica (checar baterias e levar carregador);
  • filmadora (checar baterias e levar carregador);
  • produtos de higiene íntima: escova de dentes, escova de cabelos, shampoo, sabonete, creme dental, toalhas e demais itens de banho;

Sacola do bebê

  • 01 creme para prevenção de assaduras;
  • 01 pacote de fralda descartável (tamanho recém-nascido);
  • 03 body;
  • 03 calça/mijão/culote;
  • 02 casaquinhos;
  • 03 macacão de recém-nascido;
  • 02 lençol de bercinho;
  • 01 manta (de acordo com a estação);
  • 06 fraldas de pano (brancas, sem pintura);
  • 02 toalhas com capuz;
  • 01 escovinha macia para cabelos;
  • 02 sapatinhos e luvas de lã (no frio);
  • 03 cueiros;
  • lembrancinhas;
  • enfeite de porta;

Esta é a lista mínima, fica a critério de cada um o que desejar levar a mais.

Carro

  • Bebê-conforto (assento para o bebê) – teste a instalação em seu carro assim que comprar.

Documentos

  • RG da paciente 
  • Carteira de convênio (caso tenha convênio, o Hospital exige na internação);
  • CIC e RG do marido (ou acompanhante);
  • Guia de internação (informe-se junto ao seu convênio se pode ser fornecida antes do parto, pois facilita muito no momento de internar);
  • Cartão da Gestante (utilizado no SUS e em breve nos planos de saúde);

OBS.: Parto é sempre urgência. Caso você se apavore, já saiu de casa e depois viu que esqueceu tudo, relaxe. Vá em frente. Leve sua esposa até o hospital e converse com a recepção. Enquanto ela está sendo atendida e você está assinando uma nota promissória, por exemplo, e um pouco mais tranquilo, você volta e busca o que esqueceu.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/lista-da-maternidade/