Os cuidados com o bumbum do bebê

Antiassadura da Bayer protege, hidrata e ajuda na recuperação da pele dos pequenos

A rotina de cuidados com o bebê exige atenção e dedicação, além, é claro, de carinho e amor. Por isso, os pais, que querem sempre o melhor para seus filhos, devem estar atentos para prevenir problemas que podem afetar a saúde e o bem-estar dos pequenos.

A assadura inflamação causada pelo contato prolongado da pele com as substâncias presentes nas fezes e na urina que ficam na fralda e que podem agredir a pele delicada do bebê  é um dos problemas que mais acometem os pequenos nos primeiro anos de vida, justamente pelo fato de a pele ser muito sensível nesta fase.

Se não houver o tratamento adequado, a assadura pode piorar, gerando um desconforto mais prolongado para o bebê. No entanto, para os pais e responsáveis, o ideal é prevenir para que as crianças não sofram com assaduras.

Imagem relacionada

Para evitar esse tipo de problema, o ideal é fazer a higiene completa com água morna e algodão, removendo delicadamente eventuais resquícios de fezes, urina, pomadas e outras secreções.

Trocar a fralda sempre que parecer cheia também ajuda. Isso porque, quando úmida e abafada, a região fica mais favorável ao aparecimento das assaduras. Portanto, é importante manter a pele do bumbum do bebê sempre limpa e seca.

Além disso, na hora de prevenir assaduras, os pais devem sempre optar por produtos que oferecem um cuidado a mais aos bebês, como Bepantol® Baby, creme antiassadura da Bayer que possui tripla proteção. Com uma camada fina, o produto protege, hidrata e ajuda na recuperação da pele sensível dos pequenos.

Espalhando adequadamente, Bepantol® Baby cria uma camada protetora sobre a pele, deixando-a respirar e sem abafar a região. E, como a pele do bebê se renova de maneira mais rápida que nas crianças maiores ou nos adultos, o produto ainda age nessa renovação, ajudando na recuperação natural.            

O antiassadura da Bayer também exerce uma hidratação compatível com as necessidades do bebê. Fácil de aplicar e de tirar, não agride o bumbum dos pequenos na hora de passar ou de tirar, e sua fórmula hipoalergênica não contém agentes potencialmente irritantes, como fragrâncias, corantes e conservantes. O produto pode ser encontrado nas versões de 30, 60 e 100 gramas.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/os-cuidados-com-o-bumbum-do-bebe/

A higiene do seu filho a começar pelos pés

O pé precisa respirar. Deixar a garotada andar descalça em casa é uma boa pedida para o calor. No inverno, basta atentar para a friagem!

É cada vez mais comum o uso frequente de tênis pela criançada. Porém, essa prática pode causar problemas quanto à higiene dos pés do seu filho. Isso porque, com o uso prolongado de calçados fechados, a umidade e o calor podem contribuir para o surgimento de micro-organismos nocivos, principalmente fungos, causadores das frieiras e micoses. Caso o problema não seja tratado corretamente, há riscos de gerar infecções bacterianas.

“O pé precisa respirar. Deixar a garotada andar descalça em casa é uma boa pedida para o calor. No inverno, basta atentar para a friagem”, indica a pediatra Márcia Rodrigues. Porém, para evitar as micoses, não permita que seu filho ande descalço em pisos constantemente úmidos, como lava pés e vestiários. Segundo ela, não são aconselháveis os tênis e sandálias de plástico. Couro é o material indicado.

Resultado de imagem para pé de criança

Vale lembrar que os bebês possuem má circulação nas extremidades do corpo, por isso sentem mais frio. Então, é sempre importante manter os pés do seu filho aquecidos. Para a garotada um pouco maior, o ideal é nunca utilizar o mesmo tênis por dois dias seguidos. “Alternar o uso dos calçados e deixá-los tomando sol por algumas horas nos dias em que não forem utilizados é uma prática que deveria ser adotada pelos pais”, explica a pediatra.

Outra dica é a aplicação de talco anti-séptico antes de usar calçados fechados, para diminuir a umidade e evitar o mau cheiro. Após o banho, verifique e acostume seu filho a secar sempre bem os pés, principalmente entre os dedos. Manter as unhas curtas e escovadas também é importante.

E por falar em unhas, alguns cuidados simples podem evitar que a criançada sofra com o problema de unha encravada. Não cortar as unhas até o “sabugo”, deixando sempre uma pequena porção da borda livre, é o procedimento correto. Nunca corte as unhas do seu filho pelos cantos e não retire ou afaste as cutículas, elas são responsáveis pela proteção das unhas quanto à ação de substâncias químicas e micro-organismos.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/a-higiene-do-seu-filho-a-comecar-pelos-pes/ 

Lista da maternidade

Chegada a hora do parto é preciso estar com tudo à mão para não esquecer de nada. Veja o que você deve levar para a maternidade no dia do parto

lista da maternidade - Foto:   yanalya / Freepik

Uma lista de itens para você levar para a maternidade e ficar tranquila e confortável.

O que levar para a maternidade?

O que deve ser levado ao Hospital no momento da internação? A sacola da mamãe e do bebê devem ser preparadas desde o 7º mês de gestação.

Sacola da mamãe

  • 01  pacote de absorvente próprio para o pós-parto;
  • 01 chinelo de quarto;
  • 03 jogos de camisolas que sejam de fácil manejo para a amamentação;
  • 06 calcinhas de tamanho maior do que usava antes de engravidar;
  • 01 cinta pós-parto;
  • 01 roupa para o dia de alta;
  • 02 sutiãs de amamentação;
  • 01 pomada pra rachadura de seio;
  • protetores de seios;
  • absorventes para seios;
  • concha para seio;
  • máquina fotográfica (checar baterias e levar carregador);
  • filmadora (checar baterias e levar carregador);
  • produtos de higiene íntima: escova de dentes, escova de cabelos, shampoo, sabonete, creme dental, toalhas e demais itens de banho;

Sacola do bebê

  • 01 creme para prevenção de assaduras;
  • 01 pacote de fralda descartável (tamanho recém-nascido);
  • 03 body;
  • 03 calça/mijão/culote;
  • 02 casaquinhos;
  • 03 macacão de recém-nascido;
  • 02 lençol de bercinho;
  • 01 manta (de acordo com a estação);
  • 06 fraldas de pano (brancas, sem pintura);
  • 02 toalhas com capuz;
  • 01 escovinha macia para cabelos;
  • 02 sapatinhos e luvas de lã (no frio);
  • 03 cueiros;
  • lembrancinhas;
  • enfeite de porta;

Esta é a lista mínima, fica a critério de cada um o que desejar levar a mais.

Carro

  • Bebê-conforto (assento para o bebê) – teste a instalação em seu carro assim que comprar.

Documentos

  • RG da paciente 
  • Carteira de convênio (caso tenha convênio, o Hospital exige na internação);
  • CIC e RG do marido (ou acompanhante);
  • Guia de internação (informe-se junto ao seu convênio se pode ser fornecida antes do parto, pois facilita muito no momento de internar);
  • Cartão da Gestante (utilizado no SUS e em breve nos planos de saúde);

OBS.: Parto é sempre urgência. Caso você se apavore, já saiu de casa e depois viu que esqueceu tudo, relaxe. Vá em frente. Leve sua esposa até o hospital e converse com a recepção. Enquanto ela está sendo atendida e você está assinando uma nota promissória, por exemplo, e um pouco mais tranquilo, você volta e busca o que esqueceu.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/lista-da-maternidade/

Cárie de mamadeira em bebês

A higiene com pequenas quantidades de pasta de dente fluoretada desde o nascimento do primeiro dente na boca é a melhor prevenção

A cárie de mamadeira ainda é um problema relativamente comum em crianças muito pequenas e os pais têm uma influência muito importante no seu desenvolvimento porque é deles a responsabilidade pelo estabelecimento de bons hábitos no bebê.

O uso de mamadeiras com suplementos açucarados que permanecem na boca do bebê durante toda a noite pode desencadear cáries chamadas rampantes devido à alta permanência destes líquidos açucarados sobre a superfície dental.

O esmalte do dente decíduo (dente de leite) é mais “fraco” que o esmalte do dente permanente. Isto significa que a cárie pode desenvolver mais rapidamente no dente de leite.

A cárie de mamadeira é um processo típico e pode destruir toda a estrutura do dente de leite causando dor, infecções e dificuldade de alimentação que podem afetar o crescimento e desenvolvimento natural da criança.

Resultado de imagem para caries em bebe

pré-natal odontológico é muito importante porque durante a gestação os pais receberão todas as orientações decisivas para o estabelecimento de condutas preventivas de cárie dentária na infância referente ao uso de açúcares na dieta, mamadeiras com conteúdos açucarados de uso prolongado ou noturno e hábitos de higiene oral.

Pesquisas já demonstraram que o leite materno é o melhor alimento para o bebê e que não desenvolve cárie. O uso de mamadeiras deve ser realizado com a orientação de um profissional especializado para garantir um crescimento e desenvolvimento saudável do bebê e da sua boquinha.

A higiene com pequenas quantidades de pasta de dente fluoretada desde o nascimento do primeiro dente na boca é a melhor maneira de evitar a cárie de mamadeira. A escovação deve ser realizada com escovas macias e de tamanho adequado à boquinha do bebê. Esta escovação deve ser iniciada desde a erupção do primeiro dente na boca.  A concentração de flúor na pasta de dente não deve ser menor que 1000ppmF. Concentrações menores que 1000ppmF não garantem a prevenção de cárie. A escovação deve ser sempre realizada por um adulto até que a criança tenha autonomia para cuspir. A partir deste momento deve ser monitorada.

A quantidade de pasta a ser utilizada é de metade de um grão de arroz cru quando a criança tiver somente 2 dentes na boca e de um grão de arroz cru com 4 ou mais dentes. Uma quantidade igual a um grão de ervilha poderá ser utilizada com todos os dentes na boca, que ao todo são 20.

Confira os exemplos de quantidades de pastas:

quantidade de pasta de dentes para bebês - Fotos: Divulgação

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/carie-de-mamadeira-em-bebes/

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: 

Tratamentos para Gestantes e Lactantes

Muitos procedimentos estéticos são proibidos durante a gravidez, enquanto outros são liberados com algumas restrições

Durante o período gestacional, os cuidados com o corpo e a saúde têm de ser redobrados. Isso porque, nesta fase, a mulher apresenta muitas restrições quanto aos tipos de medicamentos dos quais pode fazer uso, o que torna o tratamento de uma simples irritação de pele, por exemplo, mais complexo e delicado.

Por conta disso, muitos procedimentos estéticos são proibidos durante a gravidez, enquanto outros são liberados com algumas restrições. A gestação é um momento de muitas mudanças físicas e psicológicas. A grávida pode e deve fazer tratamentos para melhorar sua estética.

Tratamentos estéticos para gestantes e lactantes - Foto: pressfoto / Freepik

Tratamentos permitidos na gravidez:

Limpeza de pele

Pode ser feita sem problema. De preferência com produtos hipoalergênicos.

Hidratação capilar

Não há restrições. O ideal, porém, é evitar a raiz, já que essa parte do cabelo tende a ficar mais oleosa durante a gestação por conta de alterações hormonais.

Tratamentos que requerem cautela na gravidez:

Peeling

O ácido retinoico não deve ser utilizado, pois há risco de irritação da pele e de aparecimento de manchas. A gestante pode optar pelo peeling de cristal, com esfoliação leve da pele.

Drenagem linfática

Pode ser realizada a partir do 4º mês. A mulher tem de receber a autorização do médico e só deve fazer o procedimento com um terapeuta especializado em gestantes, pois a pressão exercida deve ser menos intensa do que na drenagem linfática comum.

Cremes de tratamento

O obstetra deve ter conhecimento de todos os cosméticos utilizados, pois alguns podem conter ácidos ou substâncias para clareamento que são contraindicadas. O ideal é usar apenas os produtos indicados pelo seu médico, com formulação especifica para seu tipo de pele seca, oleosa ou mista. Algumas substâncias podem ser absorvidas pelo corpo e trazer riscos para o feto.

Cremes hidratantes

Podem ser utilizados, porém deve-se evitar a hidratação dos mamilos para que eles não fiquem muito sensíveis e com predisposição a rachaduras durante a amamentação.

Massagem relaxante

Pode ser feita, mas é de extrema importância que o terapeuta que irá realizar o procedimento domine o assunto e esteja habituado a trabalhar com gestantes.

Tratamento contra acne

Pode ser realizado com produtos formulados especificamente para gestante, que não contenham substâncias que possam provocar danos ao bebê. Consulte seu médico para saber qual poderá ser usado.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/tratamentos-para-gestantes-e-lactantes/ 

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: 

Posso ter contato com animais durante a gestação?

É comum a futura mamãe olhar com desconfiança para o cão ou gato a partir do momento que descobre que está grávida. O medo de prejudicar o bebê ainda na barriga é maior que os riscos, podem acreditar. Basta alguns cuidados essenciais e os bichanos podem ser os verdadeiros companheiros nos nove meses de gestação. Para certificar-nos disso, uma universidade de Liverpool, na Inglaterra, realizou uma pesquisa com 11 mil grávidas e descobriu que as proprietárias de cachorros tendem a manter os níveis ideais de atividade física. Vamos conhecer algumas curiosidades desta belíssima participação?

Não posso conviver com gatos durante a gestação

Mito: as pessoas imaginam isso por conta da toxoplasmose, doença que pode ser transmitida pelas fezes do animal. Nelas pode estar o parasita transmissor da doença, contraída quando a pessoa entra em contato com o coco. Muitas pessoas têm toxoplasmose e sequer ficam sabendo, porque não apresentam sintomas. O problema é infectar-se pela primeira vez durante a gestação. Quando isso acontece, há uma chance de 50% de passar a doença para o feto. “Nesse caso, a doença pode causar sérios problemas como catarata, atraso no crescimento, aumento do fígado e do baço, hidrocefalia e retardo mental”, explica o ginecologista Renato Ferrari, do Hospital Universitário Clementino Fraga, no Rio de Janeiro.

Como resolver: “Não precisa se desfazer do animal, mas peça para outras pessoas limparem as fezes e lave as mãos constantemente”, diz o obstetra Eduardo Zlotinik, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. “Às vezes, a mulher até é imune, porque já teve a doença”, completa ele. As fezes não devem ficar expostas por muito tempo, pois ressecam e as partículas podem ser inaladas.

Cães podem transmitir doença

Mito: o melhor amigo do homem é o melhor companheiro da gestante no mundo animal. “Se o cachorro for conhecido e viver na casa há algum tempo, não há risco de provocar doenças que ofereçam risco ao bebê”, diz o ginecologista Eduardo Zlotnik. O cuidado, principalmente com animais de grande porte, é evitar que eles pulem sobre o abdome ou provoquem a queda da dona, que fica com o ponto de equilíbrio deslocado por causa da barriga.

Pássaros são totalmente seguros

Mito: alguns pássaros são reservatórios naturais de doenças, isso é, carregam o agente infeccioso sem adoecerem e podem transmitir o mal para os humanos. Uma dessas doenças é a psitacose, transmitida por papagaios, araras e periquitos, principalmente. A contaminação se dá ao aspirar as fezes ressecadas dos emplumados. A doença não causa mal ao feto, mas à gestante, que pode apresentar febre, tosse, dor de cabeça e prostração.

Como resolver: é bom lembrar que, embora possa ocorrer, o contágio é raro em adultos. Por isso, não há necessidade de se desfazer do animal. Basta pedir para que alguém limpe as gaiolas e mantê-las sempre higienizadas, evitando que as fezes ressequem e se espalhem pelo ar.

Fonte do Site: http://emmafiorezi.com.br/blog/index.php/posso-ter-contato-com-animais-durante-a-gestacao/

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: 

 

Intestino preso nos bebês

O melhor remédio para o intestino preso é a prevenção. Isso pode ser conseguido com algumas dicas simples

Um dos problemas mais frequentes apresentados pelos bebês é o intestino preso. O bebê chora e a mamãe chora junto não sabendo lidar com a situação. O melhor é não deixar que o intestino fique preso por meio da alimentação. A verdade é que nem sempre podemos prever quais alimentos vão deixar os pequenos constipados, mas podemos ter melhor noção do que é bom e ruim. Os bebês que somente se alimentam de leite materno podem ficar dias sem evacuar, já que é um alimento natural e não deixa muitos resíduos. A mamãe precisa ficar de olho na consistência das fezes. Se forem pastosas está tudo bem.

Mas até mesmo o aleitamento materno pode causar prisão de ventre. Há uma vertente que diz que pode estar relacionada à alimentação da mamãe. Se as fezes do bebê forem duras e ressecadas mesmo só com o aleitamento materno, a mamãe pode tentar evitar os alimentos que comeu antes da evacuação do bebê, fazer massagens na região abdominal e movimentar as perninhas três vezes por dia para amenizar a constipação. Se o bebê já engatinha, deixe o pequeno se movimentar.

intestino preso nos bebês - Foto: TaniaVdB - pixabay.com

A maior parte dos casos a constipação de verdade só começa com a introdução das fórmulas infantis e o uso de papinhas. Mesmo sendo feitas para bebês, cada organismo reage de uma maneira. Ofereça papinhas ricas em fibras ou troque a fórmula do leite. Às vezes, a mãe coloca mais leite em pó do que é recomendado na fórmula, assim há pouca quantidade de água que pode resultar em prisão de ventre.

Coloque a quantidade de leite em pó e água nas proporções certas. Frutas como mamão e abacate ou preparar sucos ou leite com água fervida com ameixa preta podem ajudar o bebê a evacuar.

No aleitamento materno exclusivo, as mamães não precisam dar água aos bebês (o leite materno é completo) e podem esquecer de oferecê-la quando há a introdução de novos alimentos. Isso é uma das causas da prisão de ventre.

Crianças maiores de 4 anos precisam de pelo menos 1,5 litro de água por dia. Em crianças que já comem a mesma alimentação dos adultos, a constipação é normalmente consequência da alimentação errada. Quando a alimentação é regada a “tranqueiras” (doces, salgadinhos e refrigerantes), faltam fontes de fibras que promovem o bom funcionamento do intestino. As fibras ajudam a aumentar o volume do bolo fecal, estimulando os movimentos peristálticos – aqueles que empurram as fezes. E a água ajuda a deixar as fezes macias.

Caso a prisão de ventre permaneça mesmo com as mudanças na alimentação, procure a ajuda de um pediatra que avaliará melhor as causas da constipação.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/intestino-preso-nos-bebes/

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: 

Cuidados especiais no banho do bebê

Faça da hora do banho do bebê um momento divertido seguindo regrinhas simples de segurança

Não é à toa que muitos pais têm medo de dar banho nos bebês. É preciso estar atento a muitos detalhes para que nada ponha em risco a saúde e, especialmente, a segurança da criança.

Na hora do banho é preciso esquecer qualquer outro compromisso e se concentrar inteiramente no filhote. Dar o banho às pressas, pensando em mil coisas ao mesmo tempo, como no feijão que está na panela e no filho mais velho que está chamando, não dá certo. Infelizmente, pesquisas mostram que é grande o número de acidentes com bebês durante o banho.

A hora do banho deve ser tratada como um compromisso ou uma reunião importante que não deve ser interrompida de maneira alguma, ou seja, quando você está dando banho no bebê, só isso importa, o resto deve esperar.

cuidados especiais na hora do banho do bebê - Foto: liquorice-legs - shutterstock.com
Se você acredita que se começar a dar o banho no bebê vai precisar abrir a porta da casa porque alguém já está pra chegar ou vai precisar desligar o fogo do arroz já tá quase secando na panela, então, definitivamente essa não é a melhor hora para dar o banho no bebê. Espere a pessoa que você aguarda chegar da rua ou espere a comida que está no fogo ficar pronta.

Jamais deixe o bebê sozinho na banheira e tampouco dê as costas para ele durante o banho. Sempre esteja de frente para o bebê até que você termine o banho e retire-o da banheira.

Fonte do Site: http://guiadobebe.uol.com.br/cuidados-especiais-no-banho-do-bebe/

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: 

Como Manter a Mamadeira Livre dos Germes

A higienização da mamadeira é essencial para a saúde do bebê, porque os resíduos de leite são um prato cheio para bactérias que causam enfermidades. O alerta é da pediatra Sandra de Oliveira Campos, professora de infectologia pediátrica da Universidade Federal de São Paulo.

Ela ressalta que a mamadeira deve ser manuseada e eesterilizada dequadamente, para que não promova problemas. Mas, vale ressaltar que a prevenção deve começar com o asseio da mamãe, no momento da preparação do alimento, lavando bem as mãos.

A pediatra lista cinco dicas simples para realizar a limpeza:

  • Lave a mamadeira (garrafa e bico) com água e detergente neutro, utilizando uma escovinha própria para o procedimento ou chacoalhando o utensílio com a solução;
  • Enxágue bem até todo o sabão ser eliminado;
  • Coloque o utensílio em uma panela com água fervente por cerca de três a cinco minutos (a panela deve ser utilizada somente para este fim) ou recorra a esterilizadores próprios para o procedimento;
  • Retire a mamadeira com uma pinça de cozinha e coloque-a para secar, de boca para baixo, em um papel toalha ou em um pano limpo;
  • Quando estiver completamente seca, armazene o utensílio em um ambiente seco ou na geladeira, em recipiente fechado.

Nunca prepare o leite para uma segunda mamada sem higienizar a mamadeira. “Ao ser utilizado uma vez, o utensílio já foi à boca do bebê e exposto às bactérias”, avisa a pediatra . “Providencie uma segunda mamadeira, um recipiente com água e leite em pó, para quando for sair de casa. Isso facilita o preparo e garantir que um alimento seguro e saudável”, orienta.

Acesse: http://bebe.abril.com.br/materia/higiene-da-mamadeira

Conheça os principais produtos da TulipaBaby: